Todos os horários

Imigrantes e refugiados buscam o Brasil para fugir de problemas em seus países

As questões que envolvem imigrantes e refugiados também dizem respeito ao Brasil. Dos 5.570 municípios brasileiros, 3.432 tiveram pelo menos um registro de imigrante internacional entre os anos de 2000 e 2015. Em 2017, o país recebeu 33.866 pedidos de refúgio de imigrantes, de acordo com um relatório do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) do Ministério da Justiça. Entre os povos que mais pedem refúgio aqui, estão os venezuelanos, cubanos, haitianos, senegaleses e sírios.

 

Nem todos os imigrantes desses países se enquadram na categoria de refugiados: essa condição aplica-se a quem cruza as fronteiras de sua nação de origem à procura de segurança, fugindo de conflitos e abusos. Recentemente, entrou em vigor a nova Lei de Migração, mas diversos artigos do decreto de regulamentação são alvo de crítica da Defensoria Pública da União (DPU) e de organizações de defesa dos direitos dos migrantes.

 

Uma das maiores crises com imigrantes no Brasil envolve os venezuelanos. Entre 2017 e 2018, o Brasil recebeu 111 mil pessoas vindas da Venezuela. O país vive uma grande crise, gerando pobreza, hiperinflação, além de escassez de alimentos e remédios. O problema começou ainda no governo de Hugo Chávez e se aprofundou na gestão de Nicolás Maduro, acusado pela oposição de ser um ditador.

 

Roraima é a principal porta de entrada dos imigrantes de lá. A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos já tenham entrado na cidade. A vinda deles ao Brasil está longe de ser o fim de seus problemas. Relatórios de instâncias internacionais revelaram casos de assédio e violência sexual no local de trabalho, violência física e verbal, condições de trabalho análogas à escravidão, exploração sexual e evidências de tráfico. Imigrantes bolivianos também costumam estampar manchetes como vítimas de todo tipo de exploração.

 

A partir de 2010, o país também recebeu uma grande leva de imigrantes haitianos, vítimas de terremoto no país. Cerca de 38 mil pessoas vindas do Haiti vieram para o Brasil entre aquele ano e 2015. A partir de 2012, o Brasil instituiu uma política de concessão de visto humanitário (que vigora também na nova lei de migração) por meio da embaixada brasileira em Porto Príncipe.

Desde 2011, a guerra civil na Síria já causou cerca de 400 mil mortes e provocou a fuga de 5,6 milhões de pessoas do país, segundo a ONU. Segundo relatório do Conare, 2,7 mil sírios já foram reconhecidos como refugiados no país. É a nacionalidade que mais conseguiu obter status de refugiado no Brasil desde 2007.