Todos os horários
Passado Presente

Você conhece a interessante história do "Relógio do Mappin"?

Por Ricardo Della Rosa, do canal Passado Presente

Outro dia, tirando fotos pelo centro de São Paulo me deparei com o relógio do prédio onde funcionava o Mappin. Aquele mecanismo mostra a hora certa para paulistanos dos anos 20 até hoje. Passou pela Revolução de 1932 exatamente na Praça do Patriarca - o centro espiritual do movimento constitucionalista, aonde os comícios mais importantes e contundentes eram proferidos. Mais tarde a loja e o relógio foram transferidos para a Praça Ramos. A seguir algumas imagens desta longa trajetória.

 

Saiba mais com a Pílula Histórica dessa semana:

 

 

Fundado em 29 de novembro de 1913 pelos irmãos ingleses Walter e Hebert Mappin, o Mappin Stores abriu suas portas na elegante Rua 15 de Novembro onde funcionou até o ano de 1919 - quando foi transferido para a "Praça do Patriarcha".

Abaixo uma foto dos anos 20, com a fachada ainda sem o relógio. Notem no centro da praça o monumento conhecido como "O Cabide" que aparece em inúmeras fotos da revolução. 

 

 

Na próxima foto, já é possível ver o relógio com o primeiro mostrador trazendo algarismos romanos.

 

 

Em 1922 um grande incêndio atinge a loja, causando enormes prejuízos.

 

 

Durante a revolução, a Praça do Patriarca foi palco dos mais importantes comícios e também um centro de arrecadação para a Campanha do Ouro. Notem a base do "Cabide" usada para vender lembranças da revolução. Colado na coluna um dos mais célebres cartazes de 1932. Dentro da loja os clientes também poderiam adquirir os Distinctivos Paulistas, que também eram vendidos na loja vizinha, a Casa São Nicolau.

  

 

Em 1939 a loja é transferida para a Praça Ramos de Azevedo. 

O relógio vai junto e ganha um mostrador com algarismos arábicos.

 

 

Em 1960 a loja é decorada para comemorar a inauguração de Brasília.

 

Brasil é tri-campeão do Mundo, 1970.

  

A loja atravessa as décadas até o final dos anos 90, quando São Paulo perde mais um ponto de ligação com seu passado.

 

 

Hoje no prédio de Elisário Bahiana o relógio continua cumprindo seu dever dia após dia, hora após hora. 

Tenho a nítida impressão que se eu pudesse chegar bem perto dele, junto com o seu tic-tac eu ouviria bem baixinho "Mappin, venha correndo, Mappin, chegou a hora Mappin, é a liquidação".

  

Já na Praça do Patriarca existem poucos traços do passado: A coluna conhecida como "Cabide" foi desmontada em 1938; depois o Edifício Barão de Iguape sede do Mappin Stores deu lugar a um gigante de concreto e vidro. Finalmente em 2002 a praça foi completamente desfigurada com a instalação de uma marquise horrorosa que tirou todo o charme de um dos locais mais tradicionais da cidade.

 

 


Ricardo Della Rosa é blogueiro, colecionador de antiguidades e pesquisador da história militar brasileira. Em seu canal do You Tube, Passado Presente, ele apresenta várias peças históricas, locais e personagens muito interessantes.