Todos os horários
JUDAÍSMO

Torá do século 13 escapa por pouco do incêndio do Museu Nacional

Pergaminhos de uma Torá escaparam por pouco do incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Nove rolos do livro sagrado do judaísmo, datados do século 13, haviam sido transferidos recentemente para a seção de Obras Raras da Biblioteca do Horto, localizada na Quinta da Boa Vista, mesmo local onde se situa o museu destruído.

De acordo com Osias Wurman, cônsul honorário de Israel no Rio de Janeiro, os pergaminhos estão entre os dez documentos mais antigos da religião. A Torá pertenceu ao imperador Dom Pedro II, que era um estudioso da cultura hebraica. Possivelmente a relíquia, que foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), é originária do Iêmen.

Ainda não há informações precisas sobre itens que possam ter resistido ao incêndio. Pesquisadores esperam que ao menos uma pequena parte do acervo tenha sido salva das chamas. Restos de um crânio encontrado no local podem ser do fóssil de Luzia, o mais antigo de um ser humano encontrado nas Américas. O meteorito de Bendegó, o maior já descoberto no Brasil, foi uma das poucas peças que sobraram da tragédia.

Vídeo relacionado (Cortes na pesquisa brasileira):



O Museu Nacional pegou fogo no domingo, 2 de setembro. O local guardava tesouros históricos de valor inestimável. Praticamente todo seu acervo de 20 milhões de peças foi destruído pelo incêndio.


 Fonte: Deutsche Welle 

Imagem: Carlos Alberto Ribeiro de Araújo/IPHAN/Reprodução