Dinossauros

Titanossauros e animais que lembram criaturas do Avatar: Conheça as novas descobertas pelo planeta

Répteis voadores surpreendentemente parecidos com as criaturas do filme Avatar, um dinossauro metade pato, metade crocodilo, e dois titanossauros enormes foram encontrados recentemente em diferentes pontos do planeta. Em poucas semanas, todas essas descobertas extraordinárias aprofundaram o conhecimento da ciência sobre os antigos habitantes do planeta e deram um novo motivo de felicidade aos amantes dos dinossauros.

Indrako avatar, muito similar aos seres voadores do planeta Pandora, no filme de James Cameron, foi descoberto por cientistas chineses: trata-se de um pterossauro que possuía uma bolsa no pescoço, parecida com a de um pelicano. Ele se alimentava de peixes pequenos em lagos de água doce, voando baixo sobre a água e capturando presas com um rápido movimento.

Quase ao mesmo tempo, no deserto do Saara, em Marrocos, eram descobertos os fósseis do Spinossaurus, um dinossauro ainda maior e mais perigoso que o T. Rex, e o primeiro a habitar tanto a terra quanto a água. Ele tinha um focinho parecido com o de um crocodilo, patas em forma de remo, pescoço e troncos largos, quadris estreitos e pernas curtas. Por isso, foi descrito pelos cientistas como “uma quimera: metade pato, metade crocodilo”.

Enquanto isso, os pesquisadores da Universidade de Ohio descobriram Rukwatitan bisepultus, um titanossauro colossal que habitou, há mais de 100 milhões de anos, a atual Tanzânia. De aparência intimidante, seus membros inferiores chegavam a ter até dois metros, e ele podia ser tão pesado quanto uma família inteira de elefantes. Essa descoberta acabou complementando outra, divulgada poucos dias antes, em uma zona mais longínqua do planeta: a do Dreadnoughtus schrani, “o que nada teme”, um dinossauro herbívoro e imenso da Patagônia, que media 26 metros de comprimento e pesava 59.300 kg – mais que um Boeing 737.

As últimas descobertas, juntas, ajudam a entender a história evolutiva do titanossauro, que teve inúmeros fósseis encontrados na América do Sul, continente separado da África durante a primeira metade do período cretáceo.

Fonte e imagens: EuropaPressTelecincoRTABC e Independent