Todos os horários
FUTEBOL

Saiba mais sobre a grande história da Chapecoense

Começou de forma humilde, cresceu de forma organizada, conseguiu se firmar na elite do futebol brasileiro e chegou ao auge: garantiu uma vaga na final da Copa Sul-Americana.

Quem poderia imaginar que uma equipe de futebol, fundada em maio de 1973, na cidade de Chapecó, chegaria tão longe e tão rápido? Nascida da fusão de duas antigas equipes locais, o Atlético Chapecó e o Independente, a Chapecoense surgiu em uma época em que o futebol amador da região estava parado. Logo, o novo clube ganhou apoio de empresários da região, que ficaram empolgados com a ideia de que a cidade de Chapecó estava ganhando um time que a representasse.

 

Pouco tempo depois, em 1977, a Chapecoense chegou à primeira final do Catarinense e ao primeiro título de sua história, ao derrotar o Avaí na decisão, por 1 a 0. Essa conquistou carimbou a passagem da equipe à disputa do Brasileiro de 78 e 79, ficando na 51ª e 93ª posições, respectivamente.

 

Após quase 20 anos sem título, a Chape, também é carinhosamente chamada de Verdão do Oeste, voltou a triunfar no Catarinense apenas em 1996, em uma polêmica decisão com o Joinville. Na véspera da partida decisiva, os jogadores do Joinville estavam dormindo no melhor hotel da cidade de Chapecó e foram importunados durante a madrugada por foguetório de torcedores da Chapecoense. A polícia foi acionada, mas de nada adiantava.

 

No dia seguinte, os jogadores do Joinville se recusaram a entrar em campo por temerem por sua segurança e por estarem abalados psicologicamente.  O árbitro deu vitória para a Chapecoense por W/O. A partir daí começou uma batalha nos tribunais esportivos para remarcação dos jogos das finais e, por fim, a Chapecoense acabou triunfando dentro de campo.

 

O começo da década de 2000 não foi fácil para a Chapecoense. Assim como a maior parte dos clubes brasileiros, estava afundado em dívidas. Contudo, amparado pela legislação brasileira, o clube mudou sua personalidade jurídica e conseguiu mudar esse quadro. Uma nova diretoria, comandada por empresários locais, assumiu a Chapecoense, e o clube começou a destinar parte da sua arrecadação para pagar os débitos restantes. Em 2006, veio o título da Copa Santa Catarina e, no ano seguinte, a equipe conquistou mais um título do Estadual, em um campanha exemplar, derrotando o Criciúma na final.

 

Em 2009, após a Chapecoense ficar com o vice no campeonato estadual, o time disputou a Série D e garantiu a vaga na Terceira Divisão de 2010. Para sair da Série C foram necessárias outras três temporadas. Neste período, a equipe faturou o estadual de 2011. O Verdão finalmente conseguiu o acesso à Série B em 2012 após um jogo contra o Luverdense (MT).

 

Bastou somente um ano na Segundona para a Chape garantir sua passagem à elite do futebol nacional. Ninguém acreditava que o Verdão iria subir logo de primeira, mas a equipe contrariou todos os prognósticos e a confirmação matemática do acesso veio na 36º rodada, quando empatou com o Bragantino em 1 a 1. 

 

Em sua participação na Série A, a Chape não decepcionou e terminou a competição em 15o., garantindo a vaga na Copa Sul-Americana no ano seguinte. Em 2015, na sua primeira competição internacional, o Verdão voltou a empolgar: chegou até as quartas de final, onde acabou eliminado pelo poderoso River Plate. O time também fez bonito no Brasileiro de 2015 e voltou a garantir a vaga na Copa Sul-Americana.

 

O ano de 2016, começou já com título estadual para a Chapecoense. Mas o ponto alto ainda estava por vir com a conquista da vaga histórica na final da Copa Sul-Americana, após passar por clubes de peso como Independiente e o San Lorenzo (o time do Papa Francisco). O sonho de fazer a final contra o Atlético Nacional, de Medellín, infelizmente, sofreu um corte abrupto e inesperado. O avião que transportava a equipe, dirigentes e jornalistas sofreu um trágico acidente na Colômbia, e a decisão da Sul-Americana, que seria realizada nesta quarta-feira (30), em Medellín, foi suspensa. 

 

Um dos grandes destaques da equipe era o artilheiro e ídolo Bruno Rangel, o maior goleador da história do Verdão. Quando ele chegou ao time, em 2013, a estrutura do clube era muito pequena. A luta pelo título da competição Sul-Americana seria o próximo grande passo a ser dado, porém a história será escrita de uma outra maneira por conta do acidente que vitimou o Verdão. Diante da tragédia, os principais clubes de futebol do Brasil querem emprestar jogadores à Chapecoense sem custo para a temporada 2017 e eles também sugeriram que o time catarinense não seja rebaixado da Série A nas próximas três edições do Brasileiro caso a equipe termine entre os quatro últimos colocados.

 

Um coisa é certa, não há como negar que o clube já havia conquistado há muito tempo a simpatia de muita gente que jamais havia ouvido falar que existia tanto futebol e paixão na querida cidade de Chapecó.

O HISTORY deseja força e esperança ao familiares e amigos das vítimas, assim como a todos os que amam a Chapecoense.

 


Fontes:  El País, iG / Imagem: Associação Atlética Chapecoense