CURIOSIDADES

Rapaz com o rosto peludo pode ter inspirado a história de “A Bela e a Fera”

A clássica história “A Bela e a Fera” pode ter sido parcialmente baseada em uma história real. O episódio remonta ao ano de 1547, quando um menino de aparência diferente foi oferecido como presente de coroação ao rei da França, Henrique II. Aos 10 anos, Pedro González (ou Petrus Gonsalvus) tinha o rosto coberto de pelos e era considerado uma criatura meio humana, meio animal.

Vídeo relacionado:

A criança era portadora de hipertricose, condição também conhecida como "síndrome do lobisomem". Nascido em Tenerife, o garoto teria sido sequestrado por piratas devido a seu visual peculiar. Na corte de Henrique II, o menino era visto como uma aberração.

O "garoto selvagem" foi mantido em uma masmorra do castelo real e examinado por médicos. Quando os especialistas concluíram que ele não se tratava de um animal, o rei decidiu oferecer a ele uma educação formal. Como um jovem nobre da época, Pedro estudou disciplinas como latim e táticas militares.

Após a morte do rei, em 1559, sua esposa, Catarina de Médici, se tornou a regente. Ela teria promovido o casamento de Pedro para verificar se os filhos dele também nasceriam cobertos de pelos. Foi quando o rapaz se casou com uma moça chamada Catherine.

Os dois primeiros filhos do casal nasceram sem hipertricose. Mas os quatro seguintes eram portadores da condição. A família passou então a viajar pela Europa servindo de atração para os aristocratas da época. Eles acabaram se estabelecendo na Espanha, sob a proteção do Duque de Parma. 

Não se sabe ao certo como acabou a saga de Pedro González, morto em 1618. Alguns dizem que seus filhos foram tirados dele e oferecidos como presentes a outros nobres (o que não parece ser verdade, já que o último registro sobre ele é sua presença no batizado de um dos netos). Há relatos de que ele e sua família teriam vivido como celebridades até o fim de seus dias. 


Fontes: The Vintage News e All That is Interesting