Todos os horários
RELIGIÃO

Por anos, rapaz confundiu doença com possessão demoníaca

Em seu livro de 2003 “Running from the Devil: A Memoir of a Boy Possessed” ("Correndo do Demônio: Memórias de um Garoto Possuído", em tradução livre), o jornalista norte-americano Steve Kissing relata com absoluta crueza sua terrível experiência durante a infância e adolescência. O que ele acreditava se tratar de um caso de possessão diabólica, acabou se revelando como um quadro de epilepsia.

Vídeo relacionado:

Desde 1975, quando Kissing tinha 10 anos, e um ano após a estreia do popular filme “O Exorcista”, o jovem começou a ter episódios de desmaios e alucinações. Apesar de não ter visto o filme na época, ele acreditava que a obra fosse um documentário sobre um caso real.  As alucinões que sofria deixavam o rapaz horrorizado. "Por exemplo, um professor se transformava em um jacaré, um lápis virava uma espada, uma árvore se tornava um dinossauro", contou.

Por conta de sua criação católica, ele interpretou seus sintomas como experiências demoníacas. Para tentar amenizar a situação, Kissing decidiu submeter-se, sem contar a ninguém, a árduas provas físicas, mentais e espirituais, que incluíam a prática periódica de autoexorcismos.

Anos mais tarde, Kissing teve um ataque epilético durante um seminário de liderança em Columbus, Ohio. Após perder a consciência, Kissing acordou em um hospital, onde foi informado que as aterrorizantes experiências das quais ele padecia desde a infância eram causadas pela epilepsia, que ele trata desde então com medicamentos e controles periódicos.


 Fonte: Huffington Post

Imagem: Shutterstock.com