descobertas

Pesquisadores encontram pela primeira vez uma escultura feita pelo Homem de Neandertal

Uma escultura enigmática, com cerca de 39 mil anos, gravada na parede da caverna de Gorham, em Gibraltar, no extremo sul da península Ibérica, está levantando a hipótese, entre arqueólogos, de que o Homem de Neandertal poderia ter alguma noção de arte. Desta maneira, teriam eles mais similaridades com o homem moderno do imaginávamos?

Os rabiscos em forma de grade, que mais lembram uma hashtag, levantam suspeitas de pesquisadores do Museu de Gibraltar de que nossos ancestrais teriam algum tipo de conceito artístico, o que indicaria que poderiam ter desenvolvido o "pensamento abstrato". Caso essa hipótese ganhe força, isso aumentaria ainda mais o "link" entre nós e nossos parentes mais próximos.

Os Neandertais ocuparam a Eurásia entre 200 mil e 30 mil anos atrás, quando foram misteriosamente extintos. Eles eram os parentes mais próximos conhecidos dos humanos modernos. Pesquisas recentes sugerem que os Neandertais teriam bem mais em comum com os Homo sapiens do que se pensava: eles enterravam seus mortos, usavam pigmentos e também penas para decorar seus corpos e, suspeita-se, tinham noção de organização em suas cavernas. Apesar das crescentes evidências que sugerem que eles podem ter sido cognitivamente semelhantes aos seres humanos modernos, a falta de uma "conexão artística" conosco parecia ser o "último bastião" para o argumento de que os Neandertais eram muito diferentes de nós, acreditam os pesquisadores.

A caverna de Gorham pode ter sido o último local conhecido da ocupação Neandertal antes de sua extinção. Em 2006, um estudo de datação por carbono de carvão de fogueiras dentro da caverna sugere que eles podem ter sobrevivido até 28 mil anos atrás.

Fonte: Live Science