CURIOSIDADES

Personalidades da história que sofreram por sua orientação sexual

Muitos gays, aceitos ou não em seus tempos, contribuíram em vários campos do conhecimento, como nas artes, filosofia, e em áreas das ciências exatas e biológias. Alguns puderam assumir sua orientação sexual sem sofrer maiores consequências, enquanto outros foram perseguidos e há um terceiro grupo de personagens históricos cuja sexualidade é objeto de especulação até os dias de hoje. Confira abaixo algumas da grandes figuras da história que marcaram época e que eram gays (ou há quem diga que foram):

- Leonardo Da Vinci (1452-1519): vários biógrafos afirmam que o brilhante artista era gay. Uma denúncia contra ele e sua perseguição posterior não o teriam permitido exercer sua sexualidade em liberdade.

- Michelangelo (1475-1564): praticamente um conterrâneo de Leonardo Da Vinci, o pintor, escultor e poeta Michelangelo dedicou vários sonetos ao seu companheiro de vida, Tommaso de Cavallieri. Michelangelo se destaca por várias obras, como a Pietà, David, além do vasto ciclo do teto da Capela Sistina e o Juízo Final. 

- Nicolau Maquiavel (1469-1527) o influente filósofo italiano Nicolau Maquiavel foi obrigado a esconder sua sexualidade por toda a vida. Ele é autor do clássico "O Princípe", um dos tratados políticos mais fundamentais elaborados pelo pensamento humano, com papel crucial na construção do conceito de Estado moderno.

- Margaret Mead (1901-1978):  famosa e respeitada antropóloga norte-americana ficou conhecida por seus relatórios detalhando as atitudes em relação ao sexo no Pacífico Sul e culturas do Sudeste Asiático tradicionais, influenciado a revolução sexual de 1960. Ele nunca assumiu sua orientação sexual abertamente, embora um livro chamado "With a Daughter's Eye" faça uma citação de que a pesquisadora possuía um relacionamento "parcialmente sexual" com uma instrutora.

- Sara Josephine Baker (1873-1945): foi a primeira mulher americana a receber um doutorado em medicina. Ela ficou conhecida por suas contribuições à saúde pública, especialmente nas comunidades de imigrantes de Nova York. Baker o final da sua vida com a australiana Ida Alexa Ross Wylie, uma romancista, ensaísta e roteirista.

Alan Turing (1912-1954): o pai da computação trabalhou durante a Segunda Guerra para a inteligência britânica para quebrar os códigos de mensagens secretas dos alemães. Por conta de sua homossexualidade, sofreu um processo criminal em 1952 e teve que passar por tratamento com hormônios femininos e castração química para não ir à prisão. Sua vida foi retratada no filme "O Jogo da Imitação". 

- Oscar Wilde (1854-1900): o famoso escritor e dramaturgo de origem irlandesa é autor de clássicos como "O Retrato de Dorian Gray". Ele foi condenado por ser gay e, em seus últimos anos, foi submetido a trabalhos forçados por "cometer atos imorais com diversos rapazes". Ele morreu em Paris, na pobreza, pouco mais de três anos após sair da prisão.

- Truman Capote (1924-1984): foi um escritor norte-americano que ficou conhecido por clássicos como Bonequinha de Luxo (1958) e também A Sangue Frio (1966), considerado livro pioneiro do chamado jornalismo literário.

- Virginia Woolf (1882-1941): a famosa escritora inglesa foi uma das mais importantes figuras do modernismo do século XX e deixou livros como "Mrs. Dalloway", "Ao Farol" e "Um Teto Todo Seu". Algumas de suas cartas indicam que ela teve um longo affair com a romancista Margaret Howard.

- Federico García Lorca (1898-1936): um dos maiores poeta e dramaturgos da Espanha foi assassinado aos 38 anos. Ian Gibson, que escreveu uma biografia sobre o escritor, disse que ele tinha uma paixão secreta pelo artista Salvador Dalí. 

 


Imagem/montagem (da esquerda para a direita): Alan Turing / Oscar Wilde / Truman Capote via Wikimedia Commons