Todos os horários
NOSSA GUERRA MUNDIAL

O carro mais maldito da história que teria desencadeado a Primeira Guerra Mundial

Muito se tem falado da lenda do carro maldito do arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do império Austro-Húngaro, cujo assassinato serviu de estopim para a Primeira Guerra Mundial. 

Ele morreu no dia 28 de junho de 1914 ao lado de sua esposa, Sofia de Hohenberg. Neste dia, os dois faziam um passeio em uma limosine Grâf und Stift, modelo 1910, em visita a Saraievo, na Bósnia e Herzegovina, onde sofreram um atentado que, mais tarde, resultou na morte de 9 milhões de pessoas na Grande Guerra. Francisco Fernando e a esposa foram assassinados a tiros pelo estudante nacionalista sérvio Gavrilo Princip. Após a tragédia, Francisco José I, líder do Império Austro-Húngaro, declarou guerra à Sérvia e, consequentemente, aconteceram outras declarações de guerra em todo o mundo.

Reza a lenda, que, a partir daí, começou uma maldição do carro. Seus próximos donos tiveram um destino macabro:

- Seu proprietário seguinte, Oskar Portiorek, acabou em um manicômio por problemas mentais provocados por uma derrota militar.

- Um capitão do exército, que herdou o carro, morreu enquanto o dirigia, ao se chocar contra uma árvore.

- O governador da Iugoslávia teve quatro acidentes com ele e, em um deles, perdeu o braço. Convencido de que o carro era maldito, vendeu-o a um amigo cético a questões desse tipo, que acabou morrendo após capotar com o veículo.

- Desde então, pelo menos cinco pessoas foram proprietárias do carro vermelho e todas elas morreram ou caíram em desgraça.

-Embora alguns acreditem que essa é uma lenda antiga e falsa, a verdade é que durante a Segunda Guerra Mundial, o museu no qual ele estava foi violentamente bombardeado. Mas o carro vermelho não sofreu danos.

Lenda urbana

Uma história macabra e tanto para um único carro, não? Trata-se de uma lenda urbana que foi se espalhando ao longo dos anos e teve início décadas após o assassinato de Francisco Fernando. De acordo com pesquisa do blogueiro Mike Dash, um dos colaborares para a popularização da maldição do carro foi Frank Edwards, a partir dos anos 50. Escritor e um dos pioneiros do rádio nos Estados Unidos, ele ficou conhecido por suas histórias sobre fenômenos paranormais e UFOs.

A lenda possui algumas falhas históricas: a Iugoslávia não teve um "governador" depois de 1918, já que se tornou um reino, o Museu Militar de Viena não foi atingido por um bombardeio durante a guerra e o carro não é vermelho. Na realidade, segundo publicou o jornal britânico The Guardian, em 2002, "depois do tiroteio, ele (o carro) foi colocado em uma caixa e levado para Viena para o imperador austro-húngaro Francisco José I, que repassou o veículo depois de algumas semanas para o respeitado Museu de História Militar, em Viena." Na época, o carro foi avaliado em mais de 4 milhões de libras (R$ 17,2 milhões).


Fontes: The Guardian , Forteana.org 

Crédito: Alexf [CC BY-SA 3.0 or GFDL], via Wikimedia Commons