Todos os horários
Ta Na História

O Boi voador que estimulou a cobrança de pedágios no Brasil

Por Thiago Gomide do Tá na História, em parceria com o Catraca Livre.

Parceria HISTORY, Ta Na História e Catraca Livre

 

Para arrecadar mais com pedágio, Maurício de Nassau fez um boi voar no Recife.

 

E esse boi voador tem tudo a ver com a hoje conhecida ponte Maurício de Nassau, um dos cartões postais da capital pernambucana.

 

Explico:

A Companhia das Índias Ocidentais, que cuidava das colônias holandesas na América, não estava mais tolerando as gastanças do conde Maurício de Nassau. Por esse e por outros motivos, foi decidido que ele não teria mais grana para gastar com obras por aqui.

 

O cofre tinha secado.

 

Mas e a ponte? A ponte, que não ficava pronta por nada, há anos, teria que ser abandonada.

 

Nassau então resolveu pegar os seus trocados e investir na faraônica obra – a primeira grande ponte do Brasil.

 

No dia 28 de fevereiro de 1644, ela foi concluída – ou quase isso.

 

Para tentar recuperar parte da grana investida, Maurício de Nassau resolveu cobrar um pedágio de quem fosse atravessar aquela verdadeira maravilha.

 

Para dar mais brilho à promoção, o conde teve uma sacada típica de publicitário.

 

Quer saber como ele fez um boi voar no Recife? Aperta o play.

A turma foi ao delírio. A história virou lenda. Virou livro. Inspirou até música “Boi Voador não pode”, do Chico Buarque.

 

Os primeiros versos dizem:

 

“Quem foi, quem foi

Que falou no boi voador

Manda prender esse boi

Seja esse boi o que for”

 

Depois desse pedágio, muitos outros foram criados.  Aliás, o que você acha dos pedágios no Brasil? Necessários? Devem ser revistos?

 

Comentários e sugestões de pauta pro [email protected]

 

Até semana que vem.

 


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.