PALEONTOLOGIA

Nova espécie de hominídeo pode ter sido encontrada na África do Sul

Arqueólogos sugerem que ossos fossilizados encontrados nos anos 1990 na África do Sul sejam de uma nova espécie de hominídeos. O esqueleto, apelidado de Little Foot (Pezinho), pertencia a uma fêmea de cerca de 1,3m que morreu há cerca de 3,67 milhões de anos. Este é o mais antigo fóssil de ancestral humano encontrado completo no país.

Vídeo relacionado:

Segundo o paleontólogo Ronald Clarke, que há mais de 20 anos trabalha na escavação e reconstrução do esqueleto, o fóssil não faz parte da família dos Australopithecus africanus, como se suspeitava anteriormente. "Há muitas diferenças, não apenas no crânio, mas também no resto do esqueleto", disse. De acordo com Clarke, Pezinho tem um rosto mais achatado, dentes maiores e um espaço maior entre os caninos e incisivos superiores. 

Clarke quer que Pezinho seja enquadrada em outra categoria de hominídeo, batizada por ele de Australopithecus prometheus, inspirado em um mito grego. Prometeu era o titã responsável por criar a humanidade a partir do barro. O arqueólogo acredita que é um nome apropriado para uma nova espécie que pode ter representado um papel importante para a evolução humana.

Outros cientistas não concordam que Pezinho pertença a uma outra espécie. O estudo de Clarke será analisado por seus colegas antes que suas suspeitas sejam confirmadas. Caso se confirme, será a primeira nova espécie desde a descoberta do Homo naledi, em 2015, também na África do Sul.


 Fontes: IFLScience e Universidade Wits

Imagem: Universidade Wits/Reprodução