CIVILIZAÇÕES PRÉ-COLOMBIANAS

Maior sacrifício infantil do mundo pode ter sido motivado por mudanças climáticas

Recentemente, foram encontradas no Peru evidências do que talvez seja o maior sacrifício infantil da história da humanidade. O cemitério pré-colombiano de Las Llamas contém os esqueletos de 140 crianças de idades entre 5 e 14 anos. Agora, alguns pesquisadores acreditam que o ritual realizado há cerca de 550 anos pode ter sido motivado por mudanças climáticas.

Vídeo relacionado:

Na cerimônia, realizada por membros da cultura Chimú, foram arrancados os corações das vítimas e de 200 lhamas jovens. Esse povo, que dependia da agricultura para sobreviver, dominou a maior parte da costa peruana entre os séculos XI e XV. Por isso, eles desenvolveram um sofisticado sistema de irrigação que contava com canais hídricos.

A área onde os Chimú habitavam é muito seca, com pouca incidência de chuva durante o ano. Mas isso pode ter mudado com a ocorrência do fenômeno El Niño. O aquecimento das águas do Oceano Pacífico pode ter provocado chuvas torrenciais na costa do Peru, inundando povoados e causando destruição. 

Há evidências de que quando o sacrifício foi posto em prática, a região habitada pelos Chimú havia sido afetada por enchentes. De acordo com o pesquisador John Verano, as vítimas podem ter sido mortas como oferenda para aplacar a fúria dos deuses, vistos como responsáveis pelas chuvas. Segundo ele, as crianças poderiam ser consideradas seres inocentes que ainda não faziam parte da sociedade. Por isso elas serviriam como presentes ou mensageiras aos seres divinos.


Fonte: Live Science

Imagem: Matyas Rehak/Shutterstock.com