Todos os horários
Ta Na História

A louca viagem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral

Por Thiago Gomide do Tá na História

 

Parceria HISTORY, Ta Na História e Catraca Livre

 

 

Março de 1922. Comemorava-se o centenário da Independência do Brasil.

Os portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral saíram de Lisboa rumo ao Rio de Janeiro, fazendo várias paradas até chegar a então capital do nosso país.

Era uma forma de contribuir para a festa. Era uma forma de reler o que os grandes navegadores fizeram no final do século XV e começo do XVI.

Eles partiram sem aparelhagem, ou seja, os guias foram as posições de estrelas e do sol.

Muitos perrengues aconteceram pelo caminho, interrompendo a travessia várias vezes.

Mas antes de você saber de alguns perrengues, conheça o avião que esses corajosos usaram: o Fairey III foi construído especialmente para a missão heroica. O motor era Rolls Royce.

Batizado Lusitânia, ele tinha dois flutuadores, para possibilitar exatamente a parada sob as águas.

Vamos aos desafios:

Um desses flutuadores foi pro saco quando pousaram no arquipélago de São Pedro e São Paulo, no nordeste brasileiro.

Tiveram que ser levados até Fernando de Noronha, onde trocaram de hidroavião.

Ficaram parados por dias.

O governo português enviou um novo, batizado de Pátria. O que eles decidiram? Será que teriam coragem?

Claro. Voltaram pro arquipélago e retomaram o trajeto.

Quase deu problema grande. Na segunda queda, eles quase morreram.

Quer saber os detalhes? Por que essa viagem é histórica? Qual é a relevância da dupla pro desenvolvimento do mercado aéreo mundial?

Aperta o play, vai.

Os dois chegaram ao Rio de Janeiro no dia 17 de junho, depois de quase 80 dias e percorrerem mais de 8000 quilômetros.

Foram recebidos como verdadeiros heróis.

 

O canal no YouTube está lotado de curiosidades históricas. Entra lá e se inscreva ;)

Pra entrar em contato, o e-mail é [email protected]


 

THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.