Todos os horários
IDADE MÉDIA

Livro mais antigo da Europa ficou centenas de anos no caixão de um santo

O livro intacto mais antigo da Europa passou centenas de anos dentro do caixão de um santo. A obra, uma cópia do Evangelho de São João, foi produzida em meados do século VII. A relíquia havia sido enterrada com São Cuteberto na Ilha de Lindisfarne, na Inglaterra, no ano 698 d.C.

Vídeo relacionado:

Para proteger os restos do santo das invasões dos vikings, cristãos retiraram o caixão da ilha por volta do século IX. Nos anos seguintes, a tumba circulou por vários locais do nordeste inglês. No fim do século X, o caixão foi levado para a cidade de Durham.

Em 1104, o caixão foi aberto por monges e revelou algumas surpresas. A primeira delas foi que o corpo do santo estava perfeitamente preservado. A outra foi a descoberta de um pequeno livro com capa vermelha de couro que estava lá dentro. Maravilhados com o estado de conservação do evangelho, os monges resolveram tirá-lo do caixão e preservá-lo como uma relíquia sagrada.

O antigo artefato oferece uma conexão direta com o início da Idade Média. Entre outras coisas, a obra revela como os livros eram produzidos e utilizados naquela época. Nos tempos medievais, reproduções da bíblia não serviam apenas para a leitura, mas também como talismãs para afastar forças malignas.

Segundo historiadores, o Evangelho de São Cuteberto é um dos melhores exemplos da caligrafia elegante do período. Além disso, sua capa feita de couro de bode apresenta um sofisticado design. Em 2012, a Biblioteca Britânica comprou a obra por 9 milhões de libras (cerca de 44 milhões de reais).


Fonte: The Vintage News

Imagem: Biblioteca Britânica, via Wikimedia Commons