Todos os horários
X COMPANY

A incrível história do biólogo que usou piolhos contra o nazismo

O biólogo polonês Rudolf Weigl se especializou em parasitologia, mais especificamente nos piolhos como transmissores do tifo, doença que, no final do século XIX e início do XX, matou milhares de pessoas.

Quando os nazistas invadiram a Polônia, ficaram muito atraídos pelos avanços de Weigl, que tinha conseguido até criar uma vacina, e por isso ele foi mantido como pesquisador.

Apesar de ter se salvado da mão pesada do nazismo, Weigl via como seus companheiros judeus eram removidos de suas funções e deportados. Por isso, ele buscou um modo muito particular de salvar suas vidas: utilizou-os como cobaias para alimentar os piolhos nos quais cultivava a bactéria Rickettsia prowazekii, com a qual criava sua famosa vacina contra o tifo.

Como os nazistas não se preocupavam com a vida dos judeus e tinham horror ao tifo, não se negaram. Mas a verdade é que era impossível que os judeus se contaminassem, uma vez que os piolhos ficavam em um cinto do qual só conseguiam tirar sua cabeça para picar a pessoa e se alimentar. Graças a isso, Weigl não só pôde poupar a vida de seus companheiros judeus, mas também foi capaz de salvar muitos que estavam em guetos com a quantidade de vacina que produziu.

Israel lhe concedeu o título póstumo de “Justo entre as Nações”, em 2003.

 


Fonte: Super Curioso 
Imagem: Gilles San Martin [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons