Camboja

Imensa rede de cidades é descoberta escondida sob vegetação no Camboja

Pesquisadores alegam ter feito a descoberta arqueológica mais relevante dos últimos tempos, escondida sob uma floresta do tropical do Sudeste Asiático.

Segundo evidências, acredita-se que há mais de 1.000 anos, a região em torno do enorme complexo religioso de Angkor Wat, no Camboja, servia de apoio a uma vasta rede de cidades que rivalizariam, atualmente, com a capital do país, Phnom Penh.

Esta última revelação ocorre após um levantamento inicial, concluído em 2012, que mostrou que a floresta em torno de Angkor Wat, o maior complexo religioso na Terra, escondia evidências de que a área poderia ser ainda maior do que é vista hoje.

Segundo resultados de um estudo mais amplo, publicado no Journal of Archaeology, surpreendentemente, o sistema de estradas e cidades é mais extenso do que qualquer expectativa. Com idades entre 900 e 1.400 anos, algumas das cidades são tão grandes que competem em tamanho com a capital do Camboja, Phnom Penh.

Estudo aéreo com lasers

A técnica usada para o trabalho foi diferenciada. Foi feito o maior estudo arqueológico aéreo já realizado, abrangendo 1.901 quilômetros quadrados. Sobrevoando a floresta, a equipe de cientistas disparou lasers para o chão, que foram refletidos de volta por meio de uma técnica conhecida como LiDAR (luz de detecção e variação). A tecnologia tem provado ser uma ferramenta incrível para identificar detalhes que são facilmente perdidos ou escondidos no chão.

Império Khmer

Os pesquisadores descobriram a existência de um grande sistema de canais de água e estradas, que liga várias cidades em toda a área, construído séculos antes do período imaginado por arqueólogos de quando essa tecnologia teria chegado à região. A descoberta também promete repensar o conhecimento sobre o império Khmer, como ele se desenvolveu e floresceu e, posteriormente, entrou em colapso.

A civilização é conhecida pela construção de grandes canais e reservatórios, que permitiram às pessoas lidar com as chuvas sazonais. Com isso, foi possível obter comida e riqueza. Porém, no seu ápice, o império Khmer parece ter sofrido com uma mudança climática, que alterou o tempo dramaticamente entre períodos secos e molhados. Teorias apontam que isso teria ocasionado uma série de problemas que essa civilização jamais conseguiu superar.


Fonte: IFL Science

Imagem: FCG/Shutterstock.com