Todos os horários
REFUGIADOS

Igreja celebra culto há mais de um mês ininterruptamente para impedir deportação de refugiados

O drama de uma família armênia ameaçada de deportação mobiliza uma comunidade religiosa na Holanda. Fiéis rezam há mais de um mês ininterruptamente na igreja protestante de Betel para impedir que Sasun e Anousche Tamrazyan e seus três filhos sejam presos e expulsos do país. Os armênios estão abrigados no templo e, por lei, policiais são impedidos de entrar em locais religiosos durante a celebração de cultos.

Vídeo relacionado:

Ao todo, cerca 300 pastores de todo o país se ofereceram para fazer revezamento na condução da celebração religiosa. Sasun disse que escapou da Armênia após ser ameaçado de morte por razões políticas. Ele e sua família estão na Holanda há nove anos.

Recentemente, o governo holandês alegou que a Armênia é um país seguro e ordenou que a família retornasse para lá. Sasun discorda e acredita que sua vida ainda estará em risco caso volte ao seu país de origem. Ele tenta permanecer com seus familiares na Holanda por meio da reivindicação de uma anistia para menores refugiados, decretada em situações excepcionais. Caso seja atendido, o benefício se estende também aos pais. 

O governo da Holanda não parece disposto a conceder o benefício. As autoridades alegam que cerca de 400 menores estão na mesma situação e que não pretende decretar uma anistia geral. Apesar de a lei dos templos ser respeitada, a situação não pode ser estendida indefinidamente. O conselho dos pastores protestantes está ciente disso, mas defende a permanência da família na igreja para chamar a atenção sobre a urgência do caso.


Fontes: O Globo e Quartz

Imagem: Hayarpi Tamrazyan (@hayarpi_3)/Twitter/Reprodução