Todos os horários
Ta Na História

Henry Ford montou uma cidade na Amazônia e se deu mal

Por Thiago Gomide do Tá na História

Parceria HISTORY, Ta Na História e Catraca Livre

Se tivesse que construir um currículo, Henry Ford poderia facilmente escrever as palavras empreendedor revolucionário. Bastava.

No começo do século XX, ele conseguiu popularizar o automóvel (com a criação do Ford T) e provocar reflexões sobre linha de montagem. O Ford T é o segundo carro mais vendido de todos os tempos, só perdendo para o Fusca. 

Com esse histórico embaixo do braço, Ford, em 1927, resolve se lançar em uma empreitada ousada: após comprar um grande terreno na região do Tapajós, no Pará, o empresário americano construiu Fordlândia, uma cidade que nasceu com a vocação de ser um dos centros mundiais da extração de borracha.

Motivo desse investimento? Por que deu tudo errado? Ford caiu na lábia de vendedores inescrupulosos? Como foi o fim dessa história?

Quer saber? Aperta o play.

Caso desse tudo certo, Ford teria grandes chances de lucrar bastante com o segundo boom da borracha. Por causa da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos precisaram de látex para diversas finalidades bélicas e o Brasil seria o principal vendedor dessa matéria prima.

A Malásia, então maior produtora, estava atolada no meio do conflito.

Muitos coronéis, como eram chamados os donos de seringais, voltaram a ganhar dinheiro entre 1942 e 1945.

Após esse período, a produção de borracha brasileira – e os consequentes ganhos – foi caindo, caindo.

Ford pulou fora do barco em 1945, mas, como foi visto no vídeo, os motivos foram diversos para que ele também não conseguisse surfar nas altas vendas da borracha.

Fordlândia se tornou uma cidade fantasma.

Se você tiver alguma curiosidade histórica, me manda no [email protected]

Até semana que vem!

 


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.