LOUCURA

Fotos impressionantes revelam horrores do "Holocausto dos Loucos"

Imagens mostram como era a vida nos manicômios até o início dos anos 80. 

Não faz muito tempo que bastava um pequeno desvio de conduta para ser considerado louco - uma bebedeira, uma pulada de cerca ou um surto de estresse, por exemplo. 


Para essas pessoas não havia tratamento possível além da internação em um manicômio. Nessas "casas de acolhimento", ao longos dos séculos, foram realizados experimentos tão crueis que podem ser facilmente associados ao Holocausto. Lobotomia, choques elétricos, prisão, exposição a elementos radioativos - tinha de tudo o que você pode imaginar de mais aterrador. 


Algumas fotos que listamos aqui foram tiradas em manicômios do final do século XIX até a década de 1980. Parecem cenas de filmes de terror. E teve no Brasil também (veja mais abaixo).

Manicômio

Manicômio

Manicômio

 

Manicômio 

Manicômio

No Brasil o terror foi o mesmo. Por aqui tivemos o Hospital Colônia de Barbacena, no interior de Minas Gerais, que carrega consigo o título nada honroso de "Auschwitz Mineira". Em quase 80 anos de funcionamento - foi fundado em 1903 e fechado no início dos anos 80 - foi responsável pela morte de mais de 60 mil pessoas consideradas loucas. O volume de corpos era tão grande que o cemitério da cidade não conseguia mais atender à demanda, de forma que os cadáveres tinham que ser enviados para outras cidades ou vendidos para faculdades de Medicina. 

Manicômio

Manicômio

Manicômio


Imagens: Facebook/Reprodução, Wikipedia Commons, YouTube (Reprodução), Luís Alfredo/Medium