Todos os horários
antiguidade

Fim do mistério: sarcófago de granito negro é aberto no Egito

Recentemente, arqueólogos encontraram um sarcófago de granito negro em Alexandria, no Egito. Durante semanas houve especulações a respeito do que havia em seu interior. Algumas pessoas chegaram a acreditar que o artefato guardaria os restos mortais de Alexandre, o Grande. Ao abrirem o imponente caixão, o mistério finalmente chegou ao fim.

Vídeo relacionado:

"O sarcófago foi aberto, mas não fomos atingidos por nenhuma maldição", brincou Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho de Antiguidades do Egito. Lá dentro foram encontradas três múmias decompostas. De acordo com ele, nenhuma delas pertencia a famílias reais romanas ou ptolomaicas, já que não havia nenhum ornamento luxuoso em seu interior, como máscaras de ouro ou estatuetas. 

As múmias estavam decompostas porque houve infiltração de esgoto no sarcófago. Agora, a estrutura será levada para o Museu Militar do Egito. Já as múmias ficarão no Museu Nacional de Alexandria. Os restos serão estudados para determinar o período ao qual elas pertencem e o que causou as mortes daquelas pessoas. 

O sarcófago possui dimensões impressionantes: com 1,85m de altura, 2,65m de profundidade, 1,65m de largura e pesando 30 toneladas, é o maior artefato do gênero já encontrado no país. O caixão nunca havia sido aberto desde que foi selado, há mais de dois mil anos. Esse fato é muito raro, já que tumbas egípcias antigas têm sido saqueadas e arrombadas no decorrer dos últimos séculos.


 Fonte:  Egypt Today 

Imagens:  Ministério de Antiguidades do Egito