Todos os horários
pré-história

Estudo indica que Homo Sapiens se espalhou pela Ásia antes do que se acreditava

O fóssil de um osso da falange média de um dedo humano foi encontrado no deserto de Nefude, na Arábia Saudita. Baseado na idade do osso, cientistas acreditam que o Homo Sapiens saiu da África e chegou na Ásia antes do que se acreditava. A descoberta foi feita pelo arqueólogo Huw Groucutt e sua equipe, da Universidade de Oxford, e publicada recentemente no jornal Nature Ecology & Evolution. 

Vídeo relacionado:

Segundo estudos de datação, o osso remonta a 88.000 anos atrás, quando o deserto de Nefude era uma terra semiárida ainda mais hostil que hoje. A data tem um significado importante já que, exceto por algumas viagens pela costa leste do Mediterrâneo, não havia nenhuma evidência da saída do Homo sapiens da África antes de 60.000 anos atrás. Esse êxodo levou à povoação da Ásia, Austrália, Europa e Américas.

A descoberta da equipe de Huw Groucutt implica que a história do Homo sapiens fora da África é mais complexa do que se pensava, e que é preciso checar novamente outras evidências similares da presença humana em locais distantes desse continente. 

O achado também pode mudar a concepção difundida até agora de que o Homo Sapiens se deslocou pelos litorais do Sul da Ásia. “O estudo mostra que os humanos modernos se moviam pelo interior, pelo coração terrestre da Eurásia, e não pelo litoral”, diz Michael Petraglia, do Max Planck Institute for the Science of Human History, coautor da pesquisa. 

Fonte: The Guardian
Imagem: frantic00 / Shutterstock.com