Todos os horários
JESUS CRISTO

Estudo aponta que metade das manchas do Santo Sudário são falsas

Dois especialistas em medicina forense italianos realizaram uma profunda análise no Santo Sudário, chegando à conclusão de que metade das manchas do manto são falsas. Segundo os pesquisadores, trata-se de uma representação artística ou didática da Paixão de Cristo,  confeccionada no século XIV.

Vídeo relacionado:

O estudo, publicado no Journal of Forensic Sciences,  foi realizado por Matteo Borrini, da Liverpool John Moores University, e por Luigi Garlaschelli, do Comitê para o Controle das Afirmações sobre as Pseudociências. Quando saíram os resultados, o diário italiano La Stampa os tornou públicos. 

Para realizar o experimento, Garlaschelli usou seu próprio corpo e foi utilizada a mesma metodologia utilizada para analisar cenas de crimes. Foram comparados sangue verdadeiro e artificial, e foi possível determinar que muitas manchas não são compatíveis com a posição de uma pessoa que esteve presa a uma cruz. Segundo os pesquisadores, durante o experimento a crucificação foi simulada de diversas formas, manipulando diversos tipos de madeira e adotando diferentes posições do corpo: braços na horizontal, na vertical e sobre a cabeça, mas os resultados obtidos não coincidem com as manchas do manto. 

A famosa relíquia, que está localizada em Turim, é um manto de 436 centímetros de comprimento por 110 de largura, e representa um homem que foi crucificado com pregos nas mãos e nos pés. O manto foi fotografado pela primeira vez em 1898, e desde então desperta todo tipo de debate acerca de sua veracidade.  A Igreja Católica não emite opinião acerca da autenticidade desta alegada relíquia. A posição oficial do Vaticano a esta questão é a de que a resposta deve ser uma decisão pessoal do fiel. 


Fonte: Daily Mail 

Imagem: Shutterstock.com