saúde

Antiga doença letal reaparece em países desenvolvidos

Uma curiosa enfermidade de viajantes do século XVIII ressurgiu agora em países desenvolvidos, segundo publicou o portal científico Science Alert. Gengivas sangrando, dentes em decomposição, cabelo cada vez mais fino e fadiga crônica são alguns dos sintomas do escorbuto, a praga que assolou muitas grandes expedições marítimas da história. 

Vídeo relacionado:

Esses sintomas eram os que Sonny López, moradora de Springfield, Massachusetts, Estados Unidos, sentia, e que fizeram com que ela consultasse o médico Eric Churchill. Segundo o profissional, há cinco ou seis anos ele diagnosticou seu primeiro caso, que foi bastante dramático. O paciente era uma pessoa com um problema de saúde mental que somente comia pão e queijo. Ele também notou que pessoas que têm dificuldade para obter comida tendem a consumir alimentos ricos em gordura e calorias. Ao longo dos últimos anos, ele contabilizou de 20 a 30 casos similares. 

O escorbuto é uma doença causada pela falta de vitamina C, e o médico James Lind, do exército britânico, descobriu, em 1912, que frutas cítricas poderiam curá-la. Durante séculos, essa terrível enfermidade tirou milhares de vidas de viajantes como consequência da reduzida variedade de alimentos durante grandes expedições. 

Em 1735, os integrantes de uma expedição russa sob as ordens do tenente Dmitri Ovtsin se salvaram da morte ao consumir um caldo elaborado com ramas de abeto, uma árvore rica em vitamina C, graças às recomendações dos habitantes da região. Uma das vítimas mais conhecidas foi o navegante Vitus Bering, que, em 1941, morreu junto a 28 membros de sua tripulação em uma das ilhas que levava seu nome, localizada ao sudoeste do mar de Bering. 


 Fonte: Science Alert

Imagem: Shutterstock.com