Todos os horários
MUSEUS

Encontrado o crânio de Luzia nos escombros do Museu Nacional

Praticamente todo o acervo do Museu Nacional foi destruído pelo incêndio que atingiu o local em setembro. Agora, pesquisadores anunciaram que uma de suas peças mais estimadas foi encontrada: o crânio de Luzia, o fóssil humano mais antigo das Américas.

De acordo com Cláudia Rodrigues, da equipe de escavamento da instituição, o crânio foi encontrado fragmentado. Houve danos no fóssil, mas 80% dos fragmentos foram identificados. Os pesquisadores irão trabalhar em sua reconstituição. 

O crânio está em melhores condições do que se imaginava. Com cerca de 11.500 anos, os restos de Luzia haviam sido encontrados na década de 1970, em Minas Gerais. Pesquisadores que vasculham os escombros procurando material que tenha escapado do fogo também encontraram restos de um dinossauro.

Outra preciosidade do acervo da instituição que sobreviveu ao incêndio é o meteorito do Bendegó, o maior já encontrado em solo brasileiro. A pedra havia sido encontrada no sertão da Bahia em 1784 e encontrava-se no museu desde 1888. A peça foi danificada, mas não chegou a ser destruída.

Vídeo relacionado (Cortes na pesquisa brasileira):


Fonte: O Globo

Imagem: Cicero Moraes, via Wikimedia Commons