descobertas

Descoberto esperma mais antigo do mundo que é maior do que seu próprio dono

Encontrado em uma caverna australiana, em Bitesantennary, no sítio arqueológico de Rivesleigh, o esperma mais antigo do mundo tem nada menos do que 17 milhões de anos e é maior que seu próprio dono, um pequeno crustáceo de água doce. Os fósseis, remanescentes do Miocena, foram achados por pesquisadores da Universidade de Nova Gales do Sul, que ficaram surpresos ao descobrir, debaixo de suas carapaças, células de esperma com núcleos de espermatozoides em excelente estado de conservação.

O artigo publicado pela revista Proceedings of the Royal Society afirma se tratar do esperma fossilizado mais antigo encontrado em registros geológicos. Depois da estranha descoberta, os estudos de laboratório mostraram que os fósseis continham órgãos sexuais em bom estado de conservação. Ali estavam, quase intactas, as células de esperma gigante, e, dentro delas, o núcleo que, em algum momento, abrigou os cromossomos e o DNA dos animais.

Sua capacidade extraordinária de conservação pode estar relacionada ao fato desses ostracodes terem vivido nas águas da caverna, que eram alvo contínuo de dejetos de milhares de morcegos: a chuva de fezes desses animais pode ter aumentado os níveis de fósforo da água e contribuído para o processo de mineralização dos tecidos moles. Ou seja: o excremento de morcegos pode ter sido o componente fundamental para que um espermatozoide de 17 milhões de anos atrás chegasse à nossa época, intacto.

Fonte e imagens: History