Todos os horários
JERUSALÉM

Descobertas evidências de massacre descrito nos Manuscritos do Mar Morto

Arqueólogos descobriram em Jerusalém os restos mortais de 125 pessoas que foram decapitadas há mais de dois mil anos. Entre os mortos, estavam homens, mulheres e crianças. Eles teriam sido vítimas de uma carnificina brutal descrita nos Manuscritos do Mar Morto.

Vídeo relacionado:

Os ossos foram encontrados no fundo de um poço. Acredita-se que as vítimas foram mortas quando Alexandre Janeu era rei da Judéia (103 a.C. a 76 a.C.). Aquela época foi marcada por extrema violência e luta por poder.

Após uma sangrenta guerra civil, que durou seis anos, Janeu ordenou a crucificação de cerca de 800 opositores políticos. Suas famílias também foram massacradas. Segundo interpretações de especialistas nos Manuscritos do Mar Morto, há registros de que várias vítimas teriam sido decapitadas. Os arqueólogos Kfir Arbiv e Tehillah Lieberman afirmam que as evidências batem com os registros dos pergaminhos históricos.

De acordo com os especialistas, as vítimas foram mortas a golpes de espada. Há evidências de que elas foram atingidas com cortes na altura do pescoço, mandíbula inferior ou na base do crânio. Restos embrionários sugerem que até mesmo mulheres grávidas foram assassinadas. 


 Fonte: Newsweek

Imagem: Shutterstock