pré-história

Crânio de 5600 anos é encontrado por acaso no Rio Tâmisa, em Londres

Um homem que garimpava objetos de valor nas margens do Rio Tâmisa, em Londres, levou um susto quando encontrou o fragmento de um crânio. Imediatamente ele chamou a polícia da Inglaterra, que passou a investigar o caso. Ao submeter o achado a uma análise de radiocarbono, descobriu-se que o osso tinha cerca de 5600 anos.

Vídeo relacionado:

De acordo com especialistas, este é o osso humano mais antigo a ser encontrado no Tâmisa. O pedaço de crânio pertencia a um homem de aproximadamente 18 anos. O fragmento data do período neolítico, que começou há cerca de seis mil anos, com o desenvolvimento da agricultura. 

As pessoas que habitavam a região às margens do Tâmisa no neolítico levavam um estilo de vida seminômade. Evidências sugerem que o rio era considerado sagrado naquela época. O local recebia oferendas como restos humanos, machados, potes e ferramentas.

O osso será agora exibido no Museu de Londres. "Este é um achado incrivelmente importante. O Tâmisa é uma rica fonte arqueológica e nós estamos sempre aprendendo com os achados que se acumulam em suas margens", disse Rebecca Redfern, curadora da instituição.


Fontes: Live Science e Museu de Londres

Imagem: Museu de Londres/Reprodução