descobertas

Conheça a verdadeira busca pela arca perdida

Há três décadas, um aventureiro norte-americano chamado Danny Douglas realizou uma longa travessia, digna de Indiana Jones, e se deparou com um grande baú, no qual estavam os restos de São João Batista e outros santos.

A arca foi encomendada em 1225 pelo bispo da cidade belga de Florennes, para que fossem guardados os restos de São Timóteo, São Apolinário, São Mauro e São João Batista. Depois da Revolução Francesa, ela foi adquirida pelo duque de Beaufort-Spontin, que a guardou em seu castelo, na República Tcheca, até o desencadeamento da Segunda Guerra Mundial. Quando os soviéticos deportaram o duque, ele abandonou seu castelo, mas, antes, escondeu a preciosa arca.

Em 1984, Danny Douglas se encontrou com um membro da família Beaufort-Spontin, que lhe revelou seu segredo. O aventureiro, então, prometeu recuperar a relíquia e viajou à República Tcheca. Lá, ele pediu uma permissão para escavar e recuperar objetos. O pedido chamou a atenção de Frantisek Maryska, chefe da polícia secreta da região, que também ficou interessado na busca. Para isso, precisou de agentes secretos; entre eles, uma mulher, que tentou seduzi-lo no intuito de arrancar a informação... Em vão. Mesmo assim, Marysja não desistiu, seguiu os passos de Douglas e acabou à frente, descobrindo a arca em 5 de novembro de 1985.

Ele foi declarado herói nacional, e Douglas foi esquecido injustamente até o ano de 2003, quando o ministério tcheco de cultura lhe enviou uma carta, afirmando que reconhecia sua participação na descoberta.

Fonte: ABC

 

Imagem: Lancastermerrin88 (Own work) [GFDL or CC BY-SA 4.0-3.0-2.5-2.0-1.0], via Wikimedia Commons