NAZISMO

Conheça a história do frei católico que se sacrificou por um prisioneiro judeu em Auschwitz

O frei polonês Maximiliano Kolbe entrou para a história devido a um gesto de extrema nobreza. Ele sacrificou a própria vida para salvar um prisioneiro judeu no campo de concentração nazista de Auschwitz. O fato aconteceu no auge da Segunda Guerra Mundial.

Vídeo relacionado:

O religioso afirmava que apenas cumpria seu destino. Ele dizia que aos 12 anos, em 1906, teve uma visão: a Virgem Maria teria aparecido para o garoto oferecendo a ele duas coroas, uma branca e uma vermelha. Se aceitasse a branca, ele deveria viver uma vida de pureza. Se optasse pela vermelha, viraria um mártir. Ele respondeu a ela que aceitaria ambas

Kolbe foi para Roma, onde se ordenou padre em 1919.  De volta a seu país-natal, se estabeleceu perto de Varsóvia e lá construiu um mosteiro. Após a invasão nazista à Polônia, o local se tornou um santuário para milhares de refugiados poloneses, a maioria judeus. Em 1941 ele foi descoberto e enviado para Auschwitz, onde sofreu um tratamento brutal.

No campo de concentração, Kolbe muitas vezes oferecia sua própria ração para que seus companheiros de detenção não passassem fome. Mas seu maior ato de desprendimento ocorreu após uma aparente fuga de um prisioneiro. Para desestimular que outros presos fugissem, o comandante do campo de concentração ordenou que dez prisioneiros aleatórios fossem selecionados para morrer de fome em um bunker.

Quando um prisioneiro chamado Franciszek Gajowniczek foi selecionado, gritou desesperado que tinha mulher e filhos. Ao ouvir seus apelos, Kolbe se voluntariou para ir ao bunker em seu lugar, pois era mais velho e não tinha dependentes. O comandante aceitou sua proposta e enviou o frei junto com os outros prisioneiros. Após três semanas, Kolbe ainda estava vivo. Então, um carrasco o matou com uma injeção letal. O frei aceitou sua morte de forma calma e pacífica. Ele foi canonizado pelo seu compatriota, o Papa João Paulo II, em 10 de outubro de 1982, na presença de Franciszek, que sobreviveu aos horrores de Auschwitz. 


Fonte: All That Is Interisting

Imagem: Wikimedia Commons