Agora
TRATO FEITO
23H30
TRATO FEITO
23H58
TRATO FEITO
Todos os horários
Ta Na História

Como foi o Carnaval durante a Segunda Guerra?

Por Thiago Gomide do Tá na História, em parceria com o Catraca Livre.

 

Parceria HISTORY, Ta Na História e Catraca Livre

 

 

Em agosto de 1942, o Brasil declarou guerra ao Eixo. Nós definitivamente entraríamos na Segunda Guerra Mundial.

Um dos motivos foi o ataque dos submarinos nazistas aos navios brasileiros. Na nossa costa.

O carnaval de 1942 já foi meio de bode: havia muitas pessoas protestando contra uma folia em um momento que tínhamos mortos por causa desses bombardeios.

Uma discussão constante era as chances de se barrar os festejos na rua. Em bailes e clubes poderia rolar.

Se o Governo não conseguiu barrar o Carnaval após aquele agosto de 1942, um fato é que tentou de tudo para cercear.

Para polícia, o Carnaval deveria se distanciar de qualquer hipótese de irreverência.

Em 1943, por exemplo, a polícia indicou a proibição ao uso de máscaras e canções que ofendessem a moral e o decoro público.

O lança perfume as bagunças na rua também foram proibidas.

A prefeitura do Rio de Janeiro parou de botar grana no Carnaval.

Quer saber mais o que rolou? O que mais foi proibido? Como os gringos foram recebidos por nossas terras? Quando foi normalizar os festejos?

No vídeo, eu não falei sobre as letras de sambas-enredo que exaltaram o Brasil. Nesse período, isso era muito comum.

Exemplo?

Olha o samba da Portela para o Carnaval de 1945, do Ventura:

"Ó meu Brasil glorioso
És belo, és forte, um colosso
É rico pela natureza
Eu nunca vi tanta beleza
Foi denominado terra de Santa Cruz
Ó pátria amada, terra adorada, terra de luz”

O regime militar também alteraria os rumos do Carnaval. Mas essa é outra história.

Não deixe de se inscrever no nosso canal youtube.com/tanahistoria

O canal no YouTube está lotado de curiosidades históricas. Entra lá e se inscreva.

Tem muitos vídeos sobre personagens e momentos da nossa e da história mundial. 

Pra entrar em contato, o e-mail é [email protected]


 

THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


 

IMAGEM: University of Michigan / Special Collections Library