Todos os horários
CLONAGEM

Cientistas pretendem clonar cavalo de 40 mil anos

Recentemente, o corpo de um filhote de cavalo de cerca de 40 mil anos foi encontrado praticamente intacto na Sibéria. O potro estava tão bem preservado porque ficou congelado em uma grossa camada de gelo. Agora, cientistas anunciaram que irão tentar clonar uma espécie extinta de cavalo com base no DNA deste animal.

Vídeo relacionado:

De acordo com os pesquisadores, o potro encontrado, da espécie Equus lenensis, tinha menos de um mês de idade quando morreu. Segundo o jornal The Siberian Times, uma equipe russa, em conjunto com o cientista sul-coreano Hwang Woo Suk tentará a clonagem. "Se conseguirmos encontrar uma célula, faremos o melhor para clonar esse animal singular”, disse Suk.

Um dos maiores desafios será justamente encontrar uma célula preservada. Após um longo período de congelamento, cristais de gelo costumam provocar a ruptura celular. Caso os cientistas consigam isolar a célula, darão início a um processo de clonagem chamado de SCNT (transferência somática do núcleo celular, na sigla em inglês). O material genético coletado deve ser então transferido para o núcleo de um óvulo de uma espécie existente de animal. Depois disso, o embrião gerado deverá ser implantado em uma égua.

Hwang Woo Suk tem uma trajetória controversa no mundo da clonagem. Ele era um cientista respeitado nessa área, até que em 2005 ele admitiu ter falsificado resultados. Além disso, ele cometeu violações éticas na aquisição de óvulos e embriões humanos. Desde 2012 ele atua em sua própria empresa de biotecnologia, que oferece clonagem de animais domésticos.


 Fonte: IFLScience

Imagem: Michil Yakovlev/North-Eastern Federal University Mammoth Museum/Divulgação