descobertas

Cientistas encontram de restos leões da caverna de mais de 10 mil anos super conservados

Especialistas siberianos se depararam com a incrível descoberta de um par de filhotes de leões da caverna, que seriam os espécimes mais bem conservados já encontrados até hoje.

[VEJA TAMBÉM:Crânio achado no Brasil revela decapitação mais antiga das Américas]

Os restos dos felinos pré-históricos, descobertos em Iacútia, na Sibéria, Rússia, foram datados com mais de 10 mil anos de idade, e, de acordo com a informação divulgada pela mídia, seus corpos estão em um ótimo estado de conservação.

Após a descoberta, os especialistas deram início a uma série de estudos para determinar por que esses leões da caverna, quando já estavam em extinção, tinham poucos predadores e não permaneciam nos pântanos, como no caso dos mamutes e outros mamíferos.

Os leões da caverna, antecessores do leão moderno, viveram durante meados e final do Pleistoceno (2,588 milhões e 11,5 mil anos atrás), no que foi o continente euroasiático, que se estendia desde o atual Reino Unido até Chukotka, no leste da Rússia.

A descoberta permitirá ampliar o conhecimento científico em torno dessa espécie, da qual só havia sido possível coletar um punhado de crânios, dentes e alguns ossos, no Alasca e no Canadá.
CLIQUE AQUI E AJUDE A PRESERVAR PAISAGENS INCRÍVEIS. Fonte: The Siberian Times

Imagem: Academia de Ciências de Iacútia