Todos os horários
ENGENHARIA GENÉTICA

Cientistas criam camundongos com duas mães e nenhum pai

Cientistas da Academia Chinesa de Ciências conseguiram criar filhotes de camundongos com duas mães e nenhum pai. A ninhada, concebida com o uso de uma técnica de edição de genes, resultou em animais saudáveis.  A equipe de pesquisadores também criou filhotes com o uso de DNA de dois pais, mas eles sobreviveram por apenas poucos dias.

Vídeo relacionado:

A pesquisa teve como objetivo investigar por que é tão difícil para mamímeros do mesmo sexo conseguirem se reproduzir e como esse obstáculo pode ser superado. Os métodos conhecidos de reprodução podem agrupar-se, genericamente, em dois tipos: reprodução assexuada e reprodução sexuada. "Os mamíferos só praticam a reprodução sexuada. Por que isso acontece? Estamos interessados nesta questão", disse Qi Zhou, um dos autores do estudo.

Mesmo com técnicas de laboratório é muito difícil criar filhotes com pais do mesmo sexo. Segundo Megan Munsie, do Centro de Pesquisa de Células-Tronco da Universidade de Melbourne, na Austrália, na reprodução nos mamíferos os DNAs masculino e feminino são responsáveis por padrões de codificação complementares, porém diferentes. Como resultado, se gerados, mamíferos que não recebem material genético de um pai e de uma mãe podem apresentar um desenvolvimento anormal.

Os pesquisadores chineses conseguiram criar os filhotes com material genético exclusivamente feminino, usando células-tronco embrionárias capazes de se transformar em qualquer tipo de célula. Essas células modificadas foram então injetadas em óvulos normais para criar embriões que seriam implantados em uma fêmea de camundongo. Isso resultou em uma ninhada de 29 filhotes saudáveis, que se transformaram em adultos e puderam se reproduzir normalmente.

A técnica pode ajudar a entender melhor alguns problemas genéticos em humanos, produzir melhores cobaias ou clonar espécies em extinção. Também há a possibilidade de o método ser utilizado no futuro para ajudar casais do mesmo sexo a se reproduzirem, mas há muitos obstáculos, práticos, éticos e tecnológicos para isso.


Fonte: Newsweek

Imagem: Shutterstock.com