Todos os horários
ENGENHARIA GENÉTICA

Cientista chinês diz que criou primeiros bebês geneticamente manipulados

Um cientista chinês diz que ajudou a criar os primeiros bebês do mundo manipulados geneticamente. De acordo com ele, foram usadas modernas técnicas de edição de genes em embriões de duas meninas gêmeas. Antes mesmo de a experiência ter sido comprovada, ela já levanta vários questionamentos éticos.

O pesquisador He Jiankui alega que alterou os embriões de sete casais durante tratamentos de fertilidade. Apenas uma gestação foi bem-sucedida. O cientista disse que seu objetivo não é curar ou prevenir alguma doença genética, mas desenvolver uma característica que poucas pessoas possuem naturalmente: a habilidade de resistir a uma futura contaminação pelo vírus HIV. 

Um cientista estadunidense disse que participou do processo na China, já que a manipulação genética é proibida nos Estados Unidos. Essa técnica é vetada na maioria dos países porque as mudanças de DNA podem ser transferidas para futuras gerações, oferecendo o risco de danificar outros genes. Muitos pesquisadores dizem que o procedimento não é seguro e acusam os chineses de estarem fazendo experiências com humanos.

Jiankui diz que é a "sociedade que decidirá em seguida" se a prática deverá ser permitida ou banida. O médico especialista em genética Kiran Musunuru, da Universidade de Pennsylvania, classificou a prática de moralmente e eticamente indefensável. Já o geneticista George Church, da Universidade de Harvard, disse que a técnica é justificável pois o HIV oferece uma ameaça à saúde pública.

A ferramenta utilizada para edição de genes se chama CRISPR-cas9. Ela permite com que o DNA seja manipulado, fornecendo novos genes ou desativando outros que podem causar futuras doenças. A técnica passou a ser usada recentemente em adultos para tratar de doenças fatais. 


 Fonte: The Telegraph

Imagem: Shutterstock.com