Todos os horários
CONTROLE DA MENTE

Capacetes que “leem mentes” são usados para monitorar chineses

Empregados em indústrias, instituições militares e de transporte na China estão utilizando capacetes com sensores de EEG (eletroencefalografia) como parte de um projeto do governo para monitorar o estado emocional dos trabalhadores e aumentar a produtividade. Os sensores monitoram a atividade elétrica do cérebro do usuário e enviam os dados para um algoritmo que interpreta as informações e avalia o seu estado emocional. Conforme a emoção captada, os superiores podem ajustar e adaptar o trabalho dos empregados. 

Vídeo relacionado:

De acordo com uma matéria do jornal South China Morning Post (SCMP), ao menos uma dúzia de instituições e empresas já estão utilizando a tecnologia. Uma delas, a estatal de energia Zhejiang diz ter aumentado seu faturamento em U$315.000.000 desde que adotou a ferramenta. 

No entanto, de acordo com especialistas da revista MIT Technology Review, as notícias provavelmente estão superestimando os resultados da tecnologia, já que a EEG ainda tem muitas limitações para detectar padrões cerebrais relacionados a emoções. Além disso, há a problemática da falta de privacidade dos trabalhadores, o que pode levar a um relacionamento abusivo entre patrão e empregado.

O professor de psicologia da Universidade de Pequim Qiao Zhian compara o projeto com a polícia do pensamento, relatada no livro “1984”, de George Orwell. Segundo ele, não há leis que limitem o uso desse tipo de equipamento na China. “O empregador pode dar um incentivo muito grande para o uso da tecnologia, a fim de aumentar os lucros, e o empregado está geralmente em uma posição muito frágil para dizer não”, afirma. 


 Fonte: IFLScience 

Imagem: agsandrew/Shutterstock.com