ROBO MEN

Arqueólogos encontram grafites obscenos em Pompeia, que demonstram uma cidade diferente de como pensamos

Um texto grosseiro, escrito em uma parede, poderia passar despercebido em qualquer cidade contemporânea, contudo, o mesmo não vale quando uma mensagem deste tipo é encontrada em um muro da antiga cidade de Pompeia. O ousado grafite “Et quitscrpipt felat” foi descoberto graças ao trabalho de arqueólogos espanhóis na Ínsula VII-6, um bloco de casas de família de classe alta, cujos escombros permitiram aos pesquisadores reconstruir a vida em Pompeia. 
 
Para a estudiosa dos grafites de Pompeia, Macarena Calderón, peças arqueológicas com a inscrição “Secundus felatus rarus”, na parede de uma casa, são importantes provas que demonstram o estilo de vida por vezes libertino que caracterizava a cidade, um lugar próximo ao Vesúvio, cujos bordéis e antros de prostituição eram tão famosos quanto o próprio vulcão
 
A recente publicação do livro “Pompeia – História e Lenda de uma Cidade Romana”, no qual a autora e historiadora Mary Beard enfatiza o papel da mulher em Roma, mostra essa difusão da sexualidade, tanto na vida cotidiana quanto nas expressões artísticas da antiga Pompeia.
 
 
 
Veja também
 
 
FONTE E IMAGENS: ABC