Todos os horários
RELIGIÃO

Anel encontrado há 50 anos em Israel pode ter pertencido a Pilatos

Um anel encontrado há quase 50 anos em Israel pode ter uma importância maior do que se imaginava. Especialistas sugerem que o adorno pertencia a Pôncio Pilatos, o governante romano que ordenou a crucificação de Jesus Cristo, segundo a Bíblia. A peça havia sido descoberta em 1969 durante escavações na antiga fortaleza do rei Herodes, no deserto da Judeia. 

Vídeo relacionado:


Até hoje os pesquisadores não haviam conseguido decifrar a inscrição contida no anel de bronze. Tudo mudou após a peça passar por um processo de limpeza. Segundo os especialistas, o nome "Pilatos" aparece circulando a ilustração de uma taça de vinho.

Os arqueólogos sugerem que a peça seja um anel de selar, usado para carimbar documentos oficiais. Como o nome "Pilatos" é bastante incomum, acredita-se que o objeto pertencia ao lendário governante. "Não sei da existência de nenhum outro Pilatos que tenha vivido naquele período e o anel mostra que ele era uma pessoa proeminente e rica", disse Danny Schwartz, professor universitário na Columbian College of Arts and Sciences, nos Estados Unidos. 

Pôncio Pilatos foi governador da província romana da Judeia entre os anos 26 e 36 d.C., além de ter sido o juiz que teria condenado Jesus Cristo a morrer na cruz. Ele era conhecido por sua brutalidade e violência. O anel foi entregue para ser examinado pelos pesquisadores que trabalham atualmente onde o objeto foi encontrado. 


Fonte: The Independent

Imagem: J. Rodman, C. Amit/Autoridade de Antiguidades de Israel/Hebrew University