RÚSSIA

Analista dos EUA revela como cosmonauta xingou superiores antes de morrer em missão em 1967

Um livro revela os momentos de raiva e ira do cosmonauta russo Vladimir Komarov contra os seus superiores, momentos antes de sua morte, na missão Soyuz 1, em 1967.

Os detalhes estão na obra "Starman The Truth behind the Legend of Yuri Gagarin" (Homem das Estrelas: A Verdade por Trás da Lenda de Yuri Gararin), de Piers Bizony e Jamie Doran. O livro se baseia nos relatos do analista de segurança nacional Perry Fellwock, que atesta que o posto norte-americano de escuta na Turquia ouviu os gritos de raiva de Komarov no dia do desastre da missão Soyuz 1, em 24 de abril de 1967.

[O HISTORY AGORA ESTÁ NO SPOTIFY: CLIQUE AQUI E SIGA-NOS]

 



Enquanto mergulhava para a morte no seu retorno à Terra, Komarov continuou xingando seus superiores e técnicos por forçá-lo a embarcar em uma missão que muitos sabiam que estava fadada ao fracasso.

Algumas semanas antes do lançamento da Soyuz 1, Komarov expressou seus sentimentos mais profundos a um de seus amigos, um oficial rebaixado da KGB, Venyamin Russayev. Com lágrimas nos olhos, disse que a missão para qual vinha se preparando estava condenada e que ele não a completaria. Apesar do perigo óbvio, Komarov estava disposto a embarcar na viagem, não para sua glória ou para o avanço da ciência de seu país, mas por seu melhor amigo Yuri Gagarin - o primeiro homem a ir ao espaço, em 1961.

O lançamento da Soyuz 1, em 23 de abril de 1967, foi saudado na Rússia como uma vitória sobre os EUA e seus aliados, uma vez que coincidiu com os 50 anos da celebração da Revolução Russa. Todas as atenções estavam voltadas para este evento, que era crucial para o governante Leonid Brezhnev. Ele exigia claramente de todos os técnicos e cientistas que a missão precisava sair de qualquer maneira como questão de honra e integridade da Rússia.

Amizade com Gagarin

Contudo, os envolvidos no projeto sabiam de graves falhas que poderiam inviabilizar a missão. No entanto, ninguém ousava descontentar o chefe russo e amargar anos de prisão ou até mesmo uma execução sumária por descumprimento de ordens. Gagarin e Komarov estavam entre os cosmonautas que poderiam embarcar na fadada nave. Ambos possuíam uma grande amizade.

Foi esse laço que forçou Komarov, pai de dois filhos, a aceitar a viagem fatal. Se ele recusasse, o próximo na linha era Yuri. Komarov não suportaria a morte de seu amigo mais querido.

Descida para a morte

A missão não foi fácil desde o seu lançamento do Cazaquistão, no dia 23 de abril de 1967. Mais tarde, a situação piorou, com quase todos os principais sistemas sem respostas. Em sua descida à Terra, Komarov não tinha controle aparente sobre seu voo e partiu para a morte certa em Oblast de Oremburgo, na Rússia. Tornou-se o primeiro homem a morrer a bordo de uma missão espacial. Em sua descida, amaldiçoou seus chefes por mandá-lo para esta missão.

Yuri Gagarin, que certamente não se recuperou da perda do melhor amigo, morreu no ano seguinte, em um acidente de avião, em 27 de março de 1968.

 

 


Fonte: The Vintage News
Imagem: Domínio Público via Wikimedia Commons