Todos os horários
INCAS

30 de julho: dia da Tríplice Deusa Inca

Tríplice Deusa Inca: um mito que sobreviveu à queda do império

 

Muitos aficionados pelo povo pré-colombiano que habitou, principalmente, o atual Peru prestam homenagens à Tríplice Deusa Inca. De acordo com alguns grupos dedicados a cerimônias pagãs, os antigos incas dedicavam a essa deusa a data que equivale ao nosso dia 30 de julho no calendário gregoriano. 

A Tríplice Deusa, na realidade, trata de três importantes divindades da mitologia inca: Mama Killa, Mama Ocllo e Mama Cocha.


Mama Killa

Mama Killa era considerada a deusa da lua, do casamento e do ciclo menstrual, defensora das mulheres e foi importante para o calendário Inca. Ela é irmã e esposa do Deus Sol (Inti) e mãe de Mama Ogllo. Segundo escritos do padre Bernabé Cobo, em meados do século XVI, a lua era adorada pelos povos nativos por causa da sua "admirável beleza" e pelos "benefícios que ela concede ao mundo". 

Mitos em torno de Mama Killa dizem que ela chorava lágrimas de prata e que os eclipses lunares foram causados quando ela estava sendo atacada por um animal. Ela era imaginada sob a forma de uma bela mulher e seus templos era servidos por dedicadas sacerdotisas.


Mama Ocllo

Os relatos sobre a origem de Mama Ocllo têm origem nos escritos de Garcilaso de la Vega II, filho do capitão espanhol Sebastián Garcilaso de la Vega com Chimpu Ocllo, uma princesa inca. Diz o cronista que o Deus Sol enviou um par de irmãos que também eram casados - Manco Capac e Mama Ocllo - para levar um pouco de civilidade aos homens que viviam de maneira selvagem e atrasada próximo ao Lago Titicaca. A mãe dos dois é Mama Killa.

O casal de irmãos recebeu do Deus Sol (Inti) um cajado de ouro que deveria ser enterrado na terra, em vários locais, até que ficasse firme. Depois de dias e noites caminhando, o casal finalmente encontrou um lugar em que o cajado se firmou: era o Cuzco, a colina Huanacauri. Eles haviam chegado ao local que seria a capital do grande Império do Sol. 


Mama Cocha

Ela é a deusa inca de todas as águas. Sob seu poder está o mar e suas marés, lagos, rios e fontes de água. Ela é comumente adorada para acalmar as águas turbulentas e para boas pescarias. 

Mama Cocha é reverenciada ao longo de toda a costa dos atuais territórios do Peru, Equador, sul da Colômbia e norte do Chile; onde a pesca era (e ainda é) essencial para muitas pessoas. Uma das principais tarefas da Mama Cocha era proteger as populações incas contra tsunamis e outros desastres marítimos. Na mitologia inca, ela é esposa do deus supremo Viracocha (senhor mestre do mundo), irmão de Mama Killa.

 


Fontes: Revista Rapadura , Machu Picchu.org

Imagem: San Antonio Museum of Art