Todos os horários


HOJE NA HISTORIA

Morre o empresário Guilherme Guinle

 



  20 de Maio de 1960

No dia 20 de maio de 1960 morria, no Rio de Janeiro, o empresário e filantropo Guilherme Guinle, considerado, na primeira metade daquele século, um dos homens mais importantes do Brasil, com extensa folha de serviços públicos prestados ao país.

Nascido no Rio de Janeiro, em 27 de janeiro de 1882, sua família tem origem na imigração francesa, mais exatamente com o patriarca Eduardo Palassim Guinle, nascido em Porto Alegre. Ele se casou com  Guilhermina Coutinho da Silva (1854 - 1925), de origem hispano-uruguaio e descendente de italianos. O pai de Guilherme e o sócio Cândido Gaffrée conseguiram em 1982 uma concessão da Companhia Docas de Santos, primeira sociedade aberta do país, criada para operar o maior porto brasileiro.

A família obteve o monopólio e depois realizou a modernização e a operação do porto de Santos ao longo de 92 anos. Com a morte do pai em 1912, Guilherme Guinle assumiu, em 1918, a presidência da Companhia Docas de Santos, cargo que ocuparia por toda a sua vida.

Guilherme Guinle formou-se engenheiro civil pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro, em 1905. Depois, morou na Bahia e envolveu-se na construção de usinas hidrelétricas. De volta ao Rio, fundou o Banco Boavista. Ao longo de sua vida, dedicou-se à atividades filantrópicas e organizou a Fundação Gaffrée Guinle.

Durante a década de 30, realizou investimentos na exploração de petróleo e, durante o Estado Novo (1937-1945), foi vice-presidente do Conselho Técnico de Economia e Finanças do Ministério da Fazenda. Na década de 40, Guinle foi escolhido pelo presidente Getúlio Vargas para presidir a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Ficou no posto até 1945, mas permaneceria como membro do conselho consultivo da empresa até seus últimos dias.

 


 

Imagem: Domínio público