Todos os horários

Hoje na história

20.Aug.1940

Revolucionário russo Leon Trotsky é assassinado no México

No dia 20 de agosto de 1940, o líder revolucionário russo Leon Trotsky foi morto pelo espanhol Ramon Merchant, um oficial a serviço do ditador soviético Josef Stalin, que havia conseguido se infiltrar no círculo íntimo de Trotsky. O crime aconteceu em sua casa, no bairro de Coyoacán, na Ramon Merchant, onde Trotsky se refugiara após fugir da Rússia. No dia do assassinato, Merchant, subitamente, atacou o russo com uma picareta, o que causou graves ferimentos na cabeça de Trotsky e provocou sua morte aos 64 anos. O revolucionário russo nasceu na cidade Ianovka, atual Ucrânia, no dia 7 de novembro de 1879.

Sua dissidência do partido comunista se tornou pública quando Trotsky publicou, em 1924, um prefácio à edição dos seus escritos de 1917, As Lições de Outubro, criticando a falta de estratégia revolucionária de Stalin. Estas discordâncias abertas afastam politicamente Trotsky de Stalin, culminando na sua expulsão do partido a 12 de novembro de 1927, o exílio em Alma Ata (hoje Altana), na então República Socialista Soviética do Cazaquistão, a 31 de janeiro de 1928, e finalmente a expulsão da União Soviética em 1929. 

Após a deportação, Trotsky passou pela Turquia, França (julho de 1933 a junho de 1935) e Noruega (junho de 1935 a setembro de 1936), fixando-se finalmente no México, a convite do pintor Diego Rivera, vivendo temporariamente em casa deste e mais tarde em casa da esposa de Rivera, a pintora Frida Kahlo. A repressão stalinista também teve como alvo seus familiares. Além da morte dos seus quatro filhos, os genros, noras, netos, e outros parentes próximos de Trotsky são igualmente vítimas da repressão por sua ligação com um "inimigo do povo".

A casa de Trotsky em Coyocán, onde foi assassinado, segue preservada no mesmo estado em que se encontrava naquele dia, e hoje abriga um museu. Trotsky nunca foi formalmente reabilitado pelo governo soviético, seja durante a "desestalinização" de Khrushchov, seja durante a "Glasnost" de Mikhail Gorbatchov, apesar da reabilitação, durante estes dois episódios, da maioria da velha guarda bolchevique morta durante os grandes expurgos de Stalin.

 


Imagem: Century Co, NY, 1921 [Domínio público], via Wikimedia Commons