Hoje na história

29.Abr.1980

O adeus de Alfred Hitchcock, o Mestre do Suspense no cinema

Alfred Hitchcock, considerado o "Mestre do Suspense" no cinema e uma eterna referência no gênero, deu o seu adeus no dia 29 de abril de 1980. Ele morreu em Los Angeles, nos EUA, vítima, aos 80 anos, de uma insuficiência renal.

 

Nascido em Londres, no dia 13 de agosto de 1899, Hitchcock viveu parte de sua vida nos Estados Unidos. Em 1942, seu estilo já havia se tornado tão reconhecido que seu nome era mostrado na tela antes mesmo do título das suas produções. 

 

Com mais de 50 filmes no currículo, uma das suas maiores obras é “Um Corpo que Cai” (1958). Este suspense psicológico foi eleito, em 2013, o melhor filme de todos os tempos pelo British Film Institute, desbancando “Cidadão Kane” do topo da lista. Outro clássico é “Interlúdio” (1946), que tem o Rio de Janeiro como um dos cenários.


Mais filmes famosos e clássicos

Não há como negar, no entanto, que a obra mais famosa e copiada de Hitchcock é “Psicose” (1960). O filme é considerado um dos mais violentos do diretor. A parte em que a secretária Marion Crane (Janet Leigh)  é assassinada no chuveiro tornou-se um clássico, assim como a trilha sonora que dramatiza a cena.

 

A lista de clássicos segue com “Os Pássaros” (1963), em que uma pacata cidade sofre um repentino ataque de aves descontroladas. Ainda pode-se citar “Suspeita” (1941), “Festim Diabólico” (1948), “Janela Indiscreta” (1954), “Ladrão de Casaca” (1955) e “Intriga Internacional” (1959).


Foi indicado, mas nunca levou o Oscar


Apesar de ter sido um consagrado diretor de cinema, Alfred Hitchcock jamais recebeu um Osca -  ele foi indicado cinco vezes como Melhor Diretor e uma como Melhor Produtor. Em 1968, ele foi agraciado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood com o Prêmio Irving Thalberg pelo conjunto da sua obra. 


Desde seus primeiros projetos, Hitchcock costumava aparecer na frente da câmera por alguns segundos. Primeiro por falta de extras, mas o costume foi mantido como uma tradição até seus últimos filmes, fazendo de suas aparições especiais uma marca registrada. O diretor seguiu filmando até 1976.

 


 

Crédito: Fred Palumbo [Domínio Público], via Wikimedia Commons