Hoje na história

25.jan.1947

Nasce Tostão, ídolo do futebol brasileiro e campeão da Copa de 70

No dia 25 de janeiro de 1947 nascia, em Belo Horizonte, Eduardo Gonçalves de Andrade, conhecido como Tostão, ex-jogador de futebol e campeão da Copa do Mundo de 1970, no México. Considerado um dos grandes jogadores do futebol nacional e internacional, recebeu este apelido ainda criança, pois era o mais magrinho e o mais novo do time de várzea. A Tostão iniciou sua carreira no futebol de salão do Cruzeiro, em 1961. No ano seguinte, com apenas 15 anos de idade, foi para o time júnior de futebol de campo. No mesmo ano, atuou no América Mineiro, mas ficou na equipe apenas um ano, retornando ao Cruzeiro, em 1963. Pela equipe celeste, em 1966, ele venceu o então poderoso Santos de Pelé, Pepe, Mauro, Zito, Mengálvio, Gilmar e Coutinho. Com duas vitórias sobre a equipe paulista, o time conquistou seu primeiro campeonato brasileiro. Tostão, ídolo do clube, é o maior artilheiro da história do Cruzeiro, com 249 gols. Ele também foi artilheiro do Campeonato Mineiro em quadro seguidas: em 1965, 1966, 1967 e 1968. Foi ainda o goleador da última edição da Taça de Prata, em 1970. Depois da sua passagem pelo time mineiro, Tostão acertou com o Vasco da Gama, em 1972, em uma das maiores negociações até então realizadas no futebol brasileiro. Contudo, ele ficou no time cruzmaltino menos de um ano, já que em fevereiro de 1973 abandonou precocemente a carreira, aos 26 anos, por conta de um problema de retina. Tostão foi aconselhado a abandonar o futebol, sob o risco de ficar cego. Pela seleção brasileira, Tostão jogou a Copa da Inglaterra, em 1966, e teve uma boa atuação diante de um time apagado e que foi eliminado na primeira fase: o Brasil perdeu de 3 a 1 para a Hungria, em Liverpool, com gol dele. Depois, em 1969, a história seria completamente diferente na Seleção Brasileira. Tostão foi o artilheiro das eliminatórias para a Copa com 10 gols. Ainda neste ano, ele passou por uma cirurgia no seu olho esquerdo por conta do problema na retina, causado por choques dentro de campo. Tostão foi operado no dia 2 de outubro de 1969 e sua participação na Copa do México era uma incógnita. Apesar de todo o risco e desconfiança, Tostão entrou em campo no México e foi peça fundamental para a conquista do tricampeonato para o Brasil. Para a imprensa europeia, ele foi o melhor jogador da Copa. Ao todo, Tostão disputou 55 jogos oficiais pela seleção brasileira e marcou 36 gols. Depois de abandonar o futebol, Tostão se formou em medicina e optou por uma vida discreta com a família. A partir de meados da década de 90 começou a trabalhar como comentarista e também escreve para jornais. Tostão é autor do livro: “Lembranças, Opiniões e Reflexões sobre Futebol”.

 


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons