Hoje na história

30.set.1957

Nasce o músico Durval Lima, o Xororó

Umas das maiores vozes do sertanejo nacional, Durval de Lima, mais conhecido como Xororó, nasceu no dia 30 de setembro de 1957. Ao lado do irmão Chitãozinho, tornou-se um dos principais expoentes deste gênero musical com sucessos como Fio de Cabelo, No Rancho Fundo e A Majestade o Sabiá, com 37 milhões de discos vendidos, 36 álbuns inéditos, oito DVDs, três prêmios Grammy e centenas de discos de ouro, platina e diamante, ao longo dos mais de 40 anos de carreira.

 

Nascido em uma família de músicos em Astorga (PR) e com um agudo bem característico, Xororó fazia a primeira voz, enquanto seu irmão Chitãozinho era a segunda. A dupla foi a primeira a emplacar o sertanejo nas rádios FM no Brasil e a colocar o gênero do país no topo das paradas da Billboard. Além da música, a dupla também era conhecida pelo seu estilo visual. Os cabelos mullet, mania nacional nas décadas de 80 e 90, as calças justas, as botas e os chapéus marcaram toda uma geração.

 

Obtiveram o primeiro lugar no show de calouros de Sílvio Santos com a música “Besta Ruana”, de Tonico & Tinoco, ainda como “Irmãos Lima”, nome artístico da dupla até o radialista Geraldo Meirelles rebatizá-la de Chitãozinho & Xororó, nome de um grande sucesso de Athos Campos e Serrinha, composto em 1947, que falava de aves brasileiras. Com este “novo” nome gravaram o primeiro disco, Galopeira, em 1970.

 

Em 1978, com 60 Dias Apaixonados, conquistaram o primeiro disco de ouro da carreira. Dois anos depois, triplicaram as vendas com Amante Amada (600 mil cópias) e levaram para casa um disco duplo de platina. Mas foi com Fio de Cabelo, do álbum Somos Apaixonados, de 1982, que aconteceu, de fato, a grande explosão da dupla. A música estourou nas rádios do Brasil e o disco alcançou o número de 1,5 milhão de cópias vendidas, tornando-se um marco na carreira de Chitãozinho & Xororó e rompendo as barreiras do preconceito contra o gênero sertanejo.

 

A dupla também tocou com grandes nomes da música como Bee Gees, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Djavan, Zé Ramalho, Ivete Sangalo, Simone, Lulu Santos, o rapper Cabal, a banda Fresno, Andreas Kisser, do Sepultura, Maria Gadú, Alexandre Pires, Fafá de Belém, Fábio Jr. e o maestro João Carlos Martins.

 


Imagem: Sérgio Savarese [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons