Todos os horários

Hoje na história

11.Oct.1996

Morre Renato Russo, líder da Legião Urbana

Cantor, compositor, baixista e líder da Legião Urbana, Renato Russo morreu no dia 11 de outubro de 1996, no Rio de Janeiro, vítima de complicações da AIDS. Nascido no dia 27 de março, de 1960, na capital fluminense, ele deixou a cidade quando tinha seis anos. Depois de uma breve passagem com a família por Nova York, morou a partir dos nove anos em Brasília.

Na capital, fez parte da banda Aborto Elétrico, entre 1978 e 1982. Depois, integrou a Legião Urbana, pela qual gravou nove discos e permaneceu até sua morte. Renato Russo também gravou três trabalhos solo: The Stonewall Celebration Concert, Equilíbrio Distante e O Último Solo.

À frente da Legão Urbana, ele se consolidou como um dos mais influentes músicos do rock nacional e deixou clássicos como Será, Geração Coca-Cola, Que País é Este?, Eduardo e Mônica e Faroeste Cabloco. Para alguns fãs, a paixão e a veneração pela banda chegava a ter um tom messiânico, sendo que alguns a chamavam de Religião Urbana. Renato Russo, contudo, sempre rejeitou este status.


 

Música: Pais e Filhos

Composição: Dado Villa-Lobos e Renato Russo

Álbum: As Quatro Estações (Legião Urbana)

 

Estátuas e cofres e paredes pintadas

Ninguém sabe o que aconteceu

Ela se jogou da janela do quinto andar

Nada é fácil de entender

 

Dorme agora

É só o vento lá fora

 

Quero colo! Vou fugir de casa

Posso dormir aqui com vocês?

 

Estou com medo, tive um pesadelo

Só vou voltar depois das três

Meu filho vai ter nome de santo

Quero o nome mais bonito

 

É preciso amar as pessoas

Como se não houvesse amanhã

Porque se você parar pra pensar

Na verdade não há

 

Me diz, por que que o céu é azul?

Explica a grande fúria do mundo

São meus filhos

Que tomam conta de mim

 

Eu moro com a minha mãe

Mas meu pai vem me visitar

Eu moro na rua, não tenho ninguém

Eu moro em qualquer lugar

 

Já morei em tanta casa

Que nem me lembro mais

Eu moro com os meus pais

 

É preciso amar as pessoas

Como se não houvesse amanhã

Porque se você parar pra pensar

Na verdade não há

 

Sou uma gota d'água

Sou um grão de areia

Você me diz que seus pais não te entendem

Mas você não entende seus pais

 

Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo

São crianças como você

O que você vai ser

Quando você crescer

 


Imagem: Foto Divulgação [CC BY 3.0 br (http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/deed.en)], via Wikimedia Commons