Todos os horários
17.Feb.1997

Morre Darcy Ribeiro, antropólogo, político e escritor

No dia 17 de fevereiro de 1997 morria, em Brasília (DF), Darcy Ribeiro, antropólogo, político e escritor. Ele faleceu após mais de 20 anos de luta contra um câncer. Nascido no dia 26 de outubro de 1922, em Montes Claros (MG), Darcy Ribeiro atuou, inicialmente, na área da antropologia e depois passou a trabalhar com educação. Com apenas 29 anos, tornou-se ministro da Educação, em 1962, durante o governo João Goulart.

Coragem! Mais vale errar, se arrebentando, do que se poupar para nada.

A coisa mais importante para os brasileiros (...) é inventar o Brasil que nós queremos.

No ano seguinte, foi ministro-chefe da Casa Civil. Ainda na carreira política, ocupou o cargo de vice-governador do Rio de Janeiro, em 1982, foi secretário de Cultura, coordenador do Programa Especial de Educação e senador, de 1991 até sua morte, em 1997. Durante esses mandatos, também concretizou projetos na área ambiental. A intensa produção de livros o transformou em um dos imortais da Academia Brasileira de Letras (ABL), onde ocupou a cadeira 11, em 1993. Nos últimos anos de vida surpreendeu com sua produção de poemas. Na área da educação, criou universidades – foi o primeiro reitor da Universidade de Brasília -, centros culturais e os Centros Integrados de Educação Pública, os Cieps. Também deixou inúmeras obras que foram traduzidas para diversos idiomas. Darcy ainda produziu obras etnográficas e de defesa da causa indígena. Em seu último ano de vida, dedicou-se a organizar a Universidade Aberta do Brasil, com cursos de educação à distância, e a Escola Normal Superior, para a formação de professores de primeiro grau.

Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca.

Admito, com toda desfaçatez, que gosto demais de mim e que me acho admirável.

Foto: www.fundar.org.br