setembro 2017

set 04

Ocorre a "Queda de Roma", e começa a Idade Média

Muitos historiadores consideram o dia de hoje como o marco da queda do Império Romano do Ocidente, no ano de 476. Nesta data, foi deposto o usurpador Rômulo Augusto, forçado a abdicar do poder pelo chefe germânico Odoacro. Não se deve esquecer, contudo, que o Império Romano do Ocidente ainda sobreviveria por mais um milênio - a divisão em duas partes do império foi feita por Diocleciano em 286 d.C.. O depois chamado Império Bizantino seguiu até 1453, quando ocorreu a Queda de Constantinopla. Com o fim do Império Romando do Ocidente, muitos historiadores aproveitaram o fato para demarcar o fim da Antiguidade e o começo da Idade Média.

Rômulo Augusto assumiu o poder muito jovem, com menos de 20 anos. Ele era filho de um general de origem bárbara, Orestes, que havia servido antes a Átila o Huno, e havia derrubado o último imperador legítimo, Júlio Nepos, que manteve sua autoridade sobre a Dalmácia. Os aliados de Orestes (hérulos e rúgios) se desentenderam com seu chefe e, sob as ordens de Odoacro, depuseram Rômulo Augusto, que teve sua vida polpada.
 
A queda do Império Romano do Ocidente foi provocada por diversos fatores, como declínio cultural, crise econômica, número insuficiente de escravos e soldados, além das invasões bárbaras que causaram a sua derrubada final. Embora unido linguisticamente - e, mais tarde, sob o cristianismo romano -, o Império englobava um grande número de culturas diferentes que haviam sido assimiladas de maneira incompleta pelos romanos.
 
Um dos fatos marcantes antes da derrubada oficial do Império do Ocidente foi o saque de Roma em 410, o primeiro em mais de 800 anos, realizado pelos visigodos comandados por Alarico I. Aos poucos, esta parte do império passou a ser governada pelas tribos invasoras.
04.Set.0476
Ler mais
leer menos

Morre José Miguel Carrera, líder da emancipação do Chile

José Miguel Carrera Verdugo nasceu em 15 de outubro de 1785 e faleceu em 4 de setembro de 1821. Foi um político e militar chileno. Líder da emancipação do Chile e destacado participante nas guerras de independência, chefe de governo e primeiro general em chefe do Exército do Chile.

Nos últimos anos os descendentes da família Carrera e de seus amigos mais próximos tentaram que se reconhecesse novamente José Miguel como um dos Pais Fundadores do Chile, dentro do contexto de um processo emancipador que não foi obra de só um homem, senão um fato coletivo, fruto do esforço de muitas pessoas, entre as quais se destacam homens e mulheres como Manuel Rodríguez, Ramón Freire, Javiera Carrera, Juan Martínez de Rozas, entre outros. Atualmente o Exército do Chile reconheceu José Miguel Carrera como seu primeiro comandante-em-chefe.

Em 24 de novembro do ano de 2005, a Armada do Chile, batizou um submarino de guerra com o nome "General Carrera", o que constitui outro fato na reivindicação histórica do líder ao tratar-se do primeiro navio de guerra que tem seu nome.

 

"Sempre achei digno de um homem honrado sacrificar sua reputação e sua pátria."

"Morro pela liberdade da América."

José Miguel Carrera

04.Set.1821
Ler mais
leer menos