julho 2017

jul 19

Nasce o jornalista Irineu Marinho

O jornalista Irineu Marinho nasceu em 19 de julho de 1876, em Niterói, no Rio de Janeiro. Seu maior legado foi a fundação do jornal O Globo, que nas mãos de seu filho Roberto, se transformaria em uma das mais importantes empresas de comunicação do Brasil. Irineu desde cedo se interessou pela imprensa. Ainda nos tempos de estudante, fundou os jornais A Pena e o Ensaio, na época em que frequentava o Liceu Popular de Niterói. Em meados dos anos 1890, após o fim da Revolta da Armada, ele se mudou para a cidade do Rio de Janeiro. Lá, trabalhou no Diário de Notícias, onde começou como revisor, para depois ser promovido a repórter e diretor. Ele também acabou trabalhando nos jornais A Tribuna e A Notícia. Irineu era um grande crítico dos trustes internacionais como a Lumber Corporation e a Brasil Railway Co (do empresário norte-americano Percival Farquhar). Em 1911 ele participou da fundação do jornal A Noite, do qual era um dos acionistas. Em 1922 acabou preso durante quatro meses por apoiar a revolta tenentista.Após ser destituído pelos outros sócios como acionista de A Noite, Irineu fundou o Globo em 1925. Menos de um mês após o início das atividades do jornal, o jornalista sofreu um infarto fulminante no banheiro de casa. Seu filho Roberto, mesmo relutante, assumiu as rédeas do veículo, que em alguns anos viraria um grande conglomerado midiático.  Imagem: Memória Roberto Marinho/Reprodução

19.Jul.1876
Ler mais
leer menos

Encontrada a Pedra de Roseta, a chave para o enigma dos hieróglifos

Neste dia, em 1799, durante a campanha de Napoleão Bonaparte no Egito, um soldado francês encontrou uma laje de basalto negro com umas inscrições antigas perto da cidade de Roseta, a 35 quilômetros ao norte de Alexandria. A pedra, de formato irregular, continha fragmentos de passagens escritas em três idiomas diferentes: grego, hieróglifos egípcios e demótico egípcio. De acordo com arqueólogos, o grego antigo da Pedra de Roseta foi escritor por padres em homenagem ao rei do Egito, Ptolomeu V, no século II a.C. O mais surpreendente, contudo, era que a passagem grega anunciava que os três textos possuíam o mesmo sentido. Desta maneira, a Pedra Roseta é considerada a chave que resolveu o enigma dos hieróglifos, uma linguagem considerada "morta" por quase 2.000 anos. Uma vez que as inscrições da Pedra de Roseta foram traduzidas, a língua e a cultura do antigo Egito passaram a ser um livro aberto para os cientistas.

Quando Napoleão, imperador conhecido por sua visão esclarecida, educação, arte e cultura, invadiu o Egito em 1798, ele levou consigo um grupo de estudiosos e ordenou que coletassem todos os artefatos culturais que pudessem ser importantes para a França. Mais tarde, quando os britânicos derrotaram Napoleão, em 1801, eles tomaram posse da Pedra de Roseta. Desde 1802, o Museu Britânico em Londres abriga a preciosidade histórica com exceção de um breve período durante a Primeira Guerra Mundial Naquela, quando o museu foi transferido para um local subterrâneo em separado, juntamente com outros itens insubstituíveis da coleção do museu, para proteção da ameaça de bombas.

 

Imagem: via Wikimedia Commons

19.Jul.1799
Ler mais
leer menos