julho 2017

jul 06

John Lennon conhece Paul McCartney

Na manchete de primeira página do Liverpool Evening Express, em 6 de julho de 1957, lia-se “MESEYSIDE SIZZLES” (algo próximo a Merseyside está ardendo), em referência à onda de calor que atingia não só o norte da Inglaterra, mas toda a Europa. A mesma manchete poderia muito bem ter sido usada para falar de uma história que não recebeu nenhuma cobertura naquele dia – a história do primeiro encontro entre dois adolescentes chamados John Lennon e Paul McCartney. Assim como a relação pessoal e profissional à qual levaria, o primeiro e histórico encontro dos dois foi repleto de excitação, rivalidade e respeito mútuo.

É fácil imaginar que John e Paul teriam se conhecido em outro dia se um amigo em comum não tivesse escolhido aquele sábado quente e úmido para apresentá-los. Mas, mesmo com muitas coisas em comum, os dois rapazes viviam em bairros diferentes, não frequentavam a mesma escola e tinham quase dois anos de diferença.

Somente John iria se apresentar ao vivo em 6 de julho de 1957. A ocasião foi o anual Woolton Parish Church Garden Fete, um desfile e uma feira ao ar livre na qual John e seu grupo Quarry Men Skiffle tinham sido convidados a tocar. As atrações principais eram uma exposição de cachorros e uma banda de metais, mas um contato familiar havia ajudado o Quarry Men a entrar para o programa, para agradar as centenas de adolescentes que estariam presentes. No meio do primeiro set, o jovem Paul McCartney, de 15 anos, apareceu e assistiu ao show, hipnotizado, enquanto John, apesar de suas habilidades precárias com a guitarra e sua tendência a improvisar no lugar das letras esquecidas, cativava o público com charme e vaidade. Depois do show, foi a vez de Paul impressionar John.

Um amigo em comum os introduziu no auditório de uma igreja próxima, onde John e seus colegas de banda estavam largados em cadeiras dobráveis e mal notaram a presença de Paul. Foi então que ele sacou seu violão, que carregava nas costas, e começou a tocar “Twenty Flight Rock”, de Eddie Cochran, e depois “Be-Bop-A-Lula” de Gene Vincent e, então, um medley com músicas de Little Richard. Conforme escreve Jim O’Donnell em “The Day John Met Paul” (O Dia em que John Conheceu Paul), seu livro que relata esse momento histórico na música, “Um jovem que não fica facilmente surpreendido, John fica surpreendido nesse momento”. A musicalidade de Paul ultrapassou a do mais velho John, porém, mais que isso, John identificou em Paul a mesma paixão que este havia detectado em John durante sua performance no palco. Logo, Paul estava ensinando a um John extasiado como afinar sua guitarra e escrever os acordes e letras para algumas das músicas que ele tinha tocado.

Naquela mesma noite, andando para casa com um de seus colegas de banda, John lhe comunicou suas intenções em relação àquele novo conhecido. Duas semanas depois, John convidou Paul para entrar para o The Quarry Men.

 


Imagem: United Press International [Domínio público], via Wikimedia Commons

 

 

Clique aqui e saiba mais sobre a história de John Lennon

06.Jul.1957
Ler mais
leer menos

Nasce Frida Kahlo, pintora mexicana

Uma das mais destacadas pintoras da história do México, Magdalena do Carmen Frida Kahlo Calderón, mais conhecida como Frida Kahlo, nascia em um dia como este, no ano de 1907, em Coyoacán, ao sul da Cidade de México. Apesar disso, Frida dizia ter nascido em 1910, ano do início da Revolução Mexicana: "Nasci com a Revolução", porque queria que sua vida começasse com o México moderno. Este detalhe demonstra sua singular personalidade, caracterizada desde sua infância por um profundo sentimento de independência e rebeldia contra os hábitos sociais e morais habituais, movida pela paixão e a sensualidade.
Orgulhosa de sua nacionalidade e sua tradição cultural, confrontou a reinante penetração dos costumes  norte-americanos, tudo isso misturado com um peculiar senso de humor. Entre suas obras destacam-se: Auto retrato em um vestido de veludo (1926), Auto retrato (1929), Frieda e Diego Rivera ou Frieda Kahlo e Diego Rivera (1931), Henry Ford Hospital (1932) e Auto retrato na Fronteira entre o México e os Estados Unidos (1932). Ao longo de sua vida, ela teve vários problemas de saúde por conta de um acidente e também viveu um longo e turbulento relacionamento com o também artista e pintor Diego Rivera. Ela morreu no dia 13 de julho de 1954, também em Coyoacán.

 

Bebi porque queria afogar minhas mágoas, mas estas malditas aprenderam a nadar.

Eu pinto auto-retratos porque estou muitas vezes sozinha, porque eu sou a pessoa que eu conheço melhor.

Eu sofri dois acidentes graves na minha vida, um foi aquele que um bonde me derrubou ... O outro acidente foi Diego (Diego Rivera, seu marido).

Eles pensaram que eu era uma surrealista, mas eu não era. Eu nunca pintei sonhos. Eu pintei a minha própria realidade.
Frida Kahlo

 

Imagem: Guillermo Kahlo (1871-1941) (Sotheby's) [Public domain], via Wikimedia Commons

06.Jul.1907
Ler mais
leer menos

Legião Checa toma o porto russo de Vladivostok para os Aliados

No dia 6 de julho de 1918, as tropas da Legião Checa, lutando em nome dos aliados, durante a Primeira Guerra Mundial, e em favor da independência do seu estado checo-eslovaco, declararam o porto russo de Vladivostok, no Oceano Pacífico, um protetorado dos Aliados, tomando controle do local e derrubando o governo bolchevique que havia sido instalado na semana anterior.

Quando a Primeira Guerra Mundial começou, no verão de 1914, os países da agora República Checa e Eslováquia faziam parte do Império Austro-Húngaro, que lutava ao lado da Alemanha e contra os Aliados - Rússia, França e Grã-Bretanha. Os checos que se alistaram no exército austro-húngaro acabaram, desta forma, lutando contra seus compatriotas, os checos que haviam emigrado para a Rússia, perto da virada do século, a maioria estabelecendo-se em Kiev, capital da Ucrânia, e arredores da cidade. Muitos que lutaram pelo Império Austro-Húngaro chegaram a se render voluntariamente ao inimigo russo. Em 1917, Thomas Masaryk, um professor de filosofia e nacionalista checo, começou a fazer lobby junto ao governo russo para formar o exército checo-eslovaco na Rússia para lutar contra as Potências Centrais. Após a abdicação do Czar Nicolau II, em março, o governo provisório permitiu que Masaryk seguisse em frente com seu plano, e a Legião Checa foi formada.

No ano seguinte, porém, os russos enfrentaram fortes dificuldades com os ataques da Alemanha na frente oriental e agitação interna no país, quando socialistas bolcheviques, liderados por Vladimir Lenin, tomaram o poder e formaram um governo. Então, os russos, imediatamente, pediram um armistício às Potências Centrais. Desta maneira, Legião Checa, mesmo abandonada por seus companheiros, russos decidiu manter a luta.

No verão de 1918, a Legião chegou ao porto russo de Vladivostok, onde derrubou o governo bolchevique local, no dia 29 de junho. Em 6 de julho, a Legião declarou o local um protetorado dos Aliados. No mesmo dia, o presidente dos EUA, Woodrow Wilson, elogiou a contribuição checo-eslovaca. Esse empenho contra as Potências Centrais iria, mais tarde, encaminhar o processo de independência da república da Checoslováquia, formada pelos antigos territórios da Boêmia, Morávia, parte da Silésia, Eslováquia e sub-Rutênia Cárpata. A nova república foi proclamada em Praga, em outubro de 1918.

 

Imagem: See page for author [Public domain], via Wikimedia Commons

06.Jul.1918
Ler mais
leer menos